BVA reúne funcionários para comunicar prejuízo

Cerca de 400 empregados foram informados das perdas da instituição no semestre, além de um aumento de capital de R$ 300 milhões

Pedro Carvalho - iG São Paulo |

O banco BVA deve anunciar nos próximos dias prejuízo acumulado de R$ 90 milhões no semestre, segundo funcionários da instituição. Na segunda-feira, os sócios do banco fizeram uma reunião com cerca de 400 empregados na qual informaram o resultado que deve constar no balanço do banco.

Segundo os diretores do BVA, o prejuízo é decorrente do aumento de provisões, exigido pelo Banco Central. Fontes ouvidas pela reportagem afirmam que o valor reservado para esse fim no banco supera os R$ 150 milhões no período - ou seja, sem as medidas prudenciais do BC, o BVA teria dado lucro. Os diretores disseram ao iG que já fizeram todo o provisionamento exigido para o primeiro semestre.

Na reunião com os funcionários, a primeira da história do banco, os diretores também anunciaram aumento de capital de R$ 300 milhões, o que elevaria o patrimônio líquido da instituição para R$ 1 bilhão. "O resultado será ruim nesse ano porque estamos segurando o ritmo dos empréstimos, dada a situação geral da economia", disse José Augusto Ferraz Santos, fundador do banco. Em 2008, o banco realizou movimento semelhante, segurando empréstimos desde o início da crise bancária internacional, mas depois sendo um dos primeiros a voltar a oferecer crédito no segmento de médias empresas. A direção diz que o aumento de capital permitirá ampliar os empréstimos diante da esperada retomada da economia neste semestre.

Mais: FGC conclui que rombo do Cruzeiro do Sul é de R$ 3,1 bi

Os diretores também esclarecem que o BVA tem pouca, ou nenhuma, exposição em operações que têm criado dificuldades a outros bancos médios, como créditos de veículos e consignado ou captação no Exterior. Há cinco anos, o banco deixou de operar uma carteira de crédito consignado.

Recentemente, o BVA fez algumas demissões, deixando os funcionários em alerta. A direção afirma que são pontuais, em função de desempenho.

Também: MPF denuncia 17 acusados de fraude no Panamericano

Nos últimos meses, mesmo os grandes bancos brasileiros, como Itaú e Santander, reportaram diminuições nos lucros devido a novas regras de provisionamento do Banco Central. A autoridade monetária passou a obrigar que os bancos deixem mais dinheiro reservado em caixa, para se protegerem de eventuais calotes. Segundo os diretores do BVA, é o mesmo movimento pelo qual a instituição passou no trimestre.

Atualmente, o BVA recebe grau de investimento de duas agências de rating, a Austin Rating e a LF Rating.


Leia tudo sobre: bvabancosprejuízobalançoscruzeiro do sulpanamericano

Notícias Relacionadas


    Mais destaques

    Destaques da home iG