Escândalo de lavagem de dinheiro nos EUA derruba executivo do HSBC

Banco é acusado de apoiar lavagem de dinheiro de drogas e financiamento do terrorismo

EFE |

EFE

O chefe do departamento de governança corporativa e risco do banco britânico HSBC, David Bagley, anunciou nesta terça-feira sua renúncia perante uma subcomissão do Senado americano, após a divulgação de que a entidade contribuiu nos Estados Unidos em operações de lavagem de dinheiro procedente do tráfico de drogas e o financiamento do terrorismo.

AP
David Bagley, chefe de governança, e Paul Thurston, chefe da divisão varejo, durante depoimento


"Recomendei ao grupo que agora é o momento adequado, para mim e para o banco, que alguém novo sirva como chefe de governança do grupo", afirmou o executivo, que concordou em trabalhar com o banco para que haja uma "transição ordenada".

Bagley, que ocupou este cargo desde 2002 e trabalhou em diversos postos do departamento durante 13 anos, explicou que estava cogitando a transformação estrutural do departamento de controle e passou essa recomendação à executiva da instituição financeira.

O Senado dos EUA revelou em um relatório, após uma investigação de um ano, que o banco, através de suas filiais, operava no mercado americano com fundos procedentes dos cartéis do narcotráfico do México e de países como Irã e Síria, sancionados pelo governo americano.

O diretor reconheceu que "apesar dos esforços e da dedicação de muitos profissionais, o HSBC não esteve à altura" de suas "próprias expectativas e das expectativas de nossos reguladores". 


Leia tudo sobre: euahsbclavagem de dinheirotráfico de drogasbancosméxicoirãsíria

Notícias Relacionadas


    Mais destaques

    Destaques da home iG