SÃO PAULO - Refletindo o agravamento da crise financeira, a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) segue perdendo valor de forma acentuada. Por volta das 14h35, o Ibovespa desvalorizava 6,45%, para 46.

052 pontos, com giro financeiro em R$ 3,66 bilhões.

O resgate à seguradora AIG teve efeito contrário nos mercados, ao invés de acalmar os ânimos elevou as dúvidas quanto à continuidade das operações no sistema financeiro. Há pouco, Dow Jones recuava 3,13%, enquanto o Nasdaq caía 3,89%.

As notícias negativas continuam surgindo, colaborando para a idéia de que a crise se espalha. Os Money Market Funds (MMF), veículos de investimento que visam curto prazo com baixo risco, passaram a ser fonte de preocupação depois que um deles teve congelar os saques ontem. Também há receito com o Morgan Stanley, mesmo depois de o banco de investimento ter anunciado resultados acima do esperado ontem.

Os eventos dos últimos dias - falência do Lehman Brothers, venda do Merrill Lynch e o resgate da AIG - estão promovendo, também, uma rodada de zeragem de posições por parte dos fundos de hedge. Isso também ajuda a explicar as baixas acentuadas nas bolsas emergentes. A Bolsa da Rússia, por exemplo, teve que interromper o pregão pelo segundo dia consecutivo devido às baixas acentuadas.

Por aqui, a incerteza, a aversão ao risco e o desmanche de posições, além de derrubar o preço das ações na Bovespa, também faz estragos nos juros futuros, que sobem de forma acentuada e puxam o preço do dólar para R$ 1,876, valorização de 2,85%.

Voltando o foco para a renda variável, dentro do Ibovespa, mesmo com as commodities operando em alta, Petrobras, Vale e siderúrgicas, que representam cerca de metade do índice, caem de forma acentuada.

Há pouco, o papel PN da Petrobras recuava 4,47%, para R$ 29,90, Vale PNA perdia 7,22%, para R$ 32,36, e o ativo ON da CSN se desvalorizava 7,93%, para R$ 44,32.

Entre os bancos, o estrago também é grande. Bradesco PN recuava 6,63%, para R$ 26,05, Itaú PN valia R$ 27,20, queda de 7,19%, e Banco do Brasil ON tinha queda de 8,33%, para R$ 20,01.

Fora do índice, chama atenção a queda nas ações da corretora BR Brokers, que desabavam 28,69%, para R$ 4,10. Também no setor de construção, o papel ON da Helbor caía 16,11%, para R$ 3,02, e PDG Realty ON cedia 15,04%, a R$ 13,21.

"(Eduardo Campos | Valor Online)"

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.