SÃO PAULO - A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) segue em território negativo, mas as vendas são bem menos acentuadas do que as verificadas no período da manhã. Depois de cair mais de 3%, por volta das 14h40, o Ibovespa recuava 0,52%, para 60.404 pontos, com giro financeiro em R$ 3,46 bilhões.

O alívio nas vendas segue a melhora de sentimento em Wall Street, onde os índices chegaram a testar o território positivo, depois que a queda no preço do petróleo, ajudou a mitigar parte das preocupação com o setor financeiro. Há pouco, Dow Jones recuava 0,20%, enquanto o Nasdaq subia 0,35%.

A forte queda de US$ 9 no preço do barril de WTI, para o patamar dos US$ 135, deu novo ânimo aos investidores. A retração no preço ocorreu após os comentários do presidente do Federal Reserve (Fed), banco central norte-americano - que disse que a economia enfrenta significativos riscos ao crescimento - e também depois de a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) reduzir a projeção de demanda.

Dentro do Ibovespa, os principais papéis continuam em baixa, mas o bom desempenho da segunda linha limita as perdas.

Há pouco, Petrobras perdia 1,56%, para R$ 40,24. Vale PNA tinha desvalorização de 1,34%, para R$ 43,31, e Usiminas PNA recuava 2,97%, para R$ 71,80.

Do outro lado, Cyerla ON subia 7,10%, para R$ 20,20, e TAM PN ganhava 4,74%, para R$ 28,70. No setor de telecomunicações, TIM Participações ON avançava 4,89%, para R$ 5,79, e Telemar Norte Leste PNA tinha alta de 3,88%, para R$ 87,11. Net PN, Souza Cruz ON e Duratex PN ganhavam mais de 3% cada.

No câmbio, o dólar devolve a alta observada por volta das 13 horas, e ameaça perder valor ante o real. Há pouco, a divisa valia R$ 1,593 na venda, sem alteração sobre o fechamento de ontem.

(Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.