As principais Bolsas de Valores do mundo lutam nesta quarta-feira para se recuperar do tombo da véspera, após a gigantesca ajuda à seguradora americana AIG pelo Federal Reserve (Fed, banco central americano) e as informações sobre uma possível venda de emergência do banco britânico HBOS.

A Bolsa de Paris operava em alta de 0,63% nesta manhã, mas ficou oscilando no início das transações, num mercado ainda muito nervoso com a evolução do setor financeiro. Em Londres, o Footsie 100 subia 1,20% e, em Frankfurt, o DAX ganhava 0,61%.

As ações mundiais sofreram fortes perdas esta semana após o dramático pedido de concordata do banco de investimentos americanos Lehman Brothers, em meio aos temores de que a atual crise dos créditos possa fazer novas vítimas corporativas.

"O sistema financeiro continuará sendo o principal fator que move os mercados e o pânico continuará gerando uma enorme volatilidade", advertiu o operador Iain Griffiths, do CMC Markets.

"O resgate da AIG foi importante para os mercados americanos. No entanto, ainda temos dúvidas se isso será suficiente para influenciar positivamente as Bolsas", acrescentou.

O resgate da AIG pelo Fed, que transforma o governo americano em dono de quase 80% do grupo de seguros, marca uma intervenção inédita do banco central americano no setor privado.

De qualquer forma, os mercados europeus penaram no início da sessão de hoje, mas começaram a se afirmar quando a BBC informou que o banco britânico Lloyds TSB está em negociações avançadas para comprar o Halifax Bank of Scotland (HBOS).

Os mercados abriram com a notícia de que o Fed concederá empréstimo de 85 bilhões de dólares à seguradora American International Group (AIG), uma medida inédita do governo americano, que evitou outra hemorragia no Wall Street.

Na Ásia, no entanto, algumas praças caíram bastante em meio aos temores sobre a saúde das instituições financeiras americanas,

A Bolsa de Hong Kong perdeu no fechamento 3,6%, enquanto a Bolsa de Xangai caiu 2,9% por preocupações com o impacto da tempestade financeira americana sobre a economia chinesa.

As duas principais Bolsas russas suspenderam as cotações nesta quarta-feira pela queda vertiginosa das ações, após perderam 17% e 11,5% na véspera.

Em Tóquio, a Bolsa terminou a sessão em alta de 1,21%, um dia depois de cair quase 5%, a seu menor nível em mais de três anos.

Os bancos centrais da Ásia injetaram dinheiro mais uma vez nos mercados monetários. O Banco do Japão injetou 28 bilhões de dólares.

A Bolsa de Seul terminou em alta de 2,7%, depois de ter despencado 6,1% na terça-feira.

Com a notícia do resgate do AIG, na noite de terça-feira, o índice Dow Jones se recuperou e fechou em alta de 1,30%.

Os mercados também foram tranqüilizados pela decisão do Fed de manter as taxas de juros em 2%, interpretada como um sinal de confiança na recuperação.

bur-rfj/lbc/lm

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.