SÃO PAULO - Os índices Dow e S & P 500 fecharam em alta ontem com o avanço dos preços do petróleo impulsionando as ações energéticas, apesar de renovados temores sobre as perdas de crédito em Wall Street terem limitado os ganhos e derrubando o Nasdaq.

O Dow Jones teve alta de 0,11%, a 11.430 pontos e o Standard & Poor´s 500 subiu 0,25%, a 1.277 pontos. Já o Nasdaq recuou 0,36%, a 2.380 pontos.

Os preços do petróleo subiram mais de US$ 5 com crescentes tensões entre o Estados Unidos e a Rússia e um dólar fraco. As ações da Exxon Mobil subiram 2% e tiveram fundamental importância no suporte dos índices Dow e S & P.

As ações bancárias enfrentaram maus momentos quase toda sessão com analistas prevendo mais baixas contábeis ligadas à crise hipotecária. As ações petrolíferas caíram fortemente durante o declínio, então temos um pouco de ajuste para cima neste momento , disse John Praveen, estrategista de investimento da Prudential International Investiment Advisers.

O petróleo caiu a US$ 113 por barril neste mês após ter atingido um recorde acima de US$ 147 em meados de julho. Ontem, o barril fechou a US$ 121.

O principal índice de ações européias fechou no menor nível desde 4 de agosto, pressionado pela persistente preocupação com o setor financeiro e pela alta do petróleo. Ações ligadas a commodities limitaram a queda do mercado. O índice FTSEurofirst 300 caiu 0,91%, para 1.154 pontos.

O HSBC foi a principal influência negativa sobre o índice, com queda de 2,8%, enquanto Santander, Intesa SanPaolo, BNP Paribas, Royal Bank of Scotland e ING recuaram entre 2,3 e 3,7%. Com a alta do petróleo, as companhias BP e Royal Dutch Shell subiram 1,2% e 1,8%, respectivamente.

O foco continua na crise financeira. Ainda há muita incerteza. A esperança de uma estabilização é adiada de trimestre a trimestre e, de um modo geral, o mercado não consegue se recuperar até que haja clareza , disse David Pieper, analista do banco alemão LBBW. Enquanto o setor financeiro cair... o mercado não consegue tocar uma música diferente.

Em Londres, o índice Financial Times fechou com variação negativa de 0,03%, a 5.370 pontos. O DAX, de Frankfurt, caiu 1,28%, para 6.236 pontos. O recuo do CAC-40, de Paris, foi de 1,4% (4.304 pontos). Também recuaram as bolsas de Milão (1,07%), Madri (1,43%) e Lisboa (0,31%).

(Valor Econômico, com agências internacionais)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.