Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Mercados: Petrobras segura Bovespa em território positivo

SÃO PAULO - Com as commodities apontando para cima, a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) volta a oscilar em território positivo. Depois das perdas registrada na abertura, por volta das 13 horas, o Ibovespa avançava 0,25%, para 54.616 pontos. O giro financeiro estava em R$ 1,63 bilhão.

Valor Online |

O diretor de operações da Novação Corretora, Carlos Alberto de Oliveira Ribeiro, a valorização do preço do petróleo puxou as ações da Petrobras e, conseqüentemente, o índice como um todo.

No entanto, o especialista aponta que o ganho do dia não está garantido. Essa alta do petróleo é benéfica para o mercado brasileiro, mas já começa a conter as compras em Wall Street. Há pouco, Dow Jones ganhava 0,07 % e o Nasdaq subia 0,05 %.

Ribeiro também chama atenção para a melhora no volume financeiro. Ontem, a sessão movimentou apenas R$ 2,58 bilhões. Para hoje, o volume projetado, segundo o especialista, já passa de R$ 4 bilhões.

Avaliando o cenário, o diretor afirma que não é possível falar em tendência para a Bovespa. A volatilidade deve continuar elevada, devido à incerteza quanto ao rumo das commodities e pelos problemas envolvendo as instituições financeiras norte-americanas.

No entanto, já começam a surgir boas oportunidades de compra, principalmente para o investidor que não tem intenção de investimento de curto prazo.

Assegurando a alta o Ibovespa, Petrobras PN subia 1,77%, para R$ 34,41, e Petrobras ON ganhava 1,80%, para R$ 42,40. Com menos força, Vale PNA avançava 0,08%, para R$ 37,16.

Bom desempenho também para Celesc PNB, que subia 2,76%, para R$ 45,73. Embraer ON tinha elevação de 2,73%, para R$ 13,53, e CPFL Energia registrava aumento de 2,22%, para R$ 34,95.

Segurando um melhor desempenho do índice, Bradesco PN caía 0,67%, para R$ 29,49, e Itaú PN perdia 0,42%, para R$ 30,42. Baixa também para Usiminas PNA, que valia 54,53, queda de R$ 0,85%.

Ainda na ponta vendedora, baixa acentuada para o ativo ON da Sabesp, de 4,36%, para R$ 36,34. Nossa Caixa ON recuava 3,11%, para R$ 37,30, e TAM PN cedia 2,48%, para R$ 31,79.

No câmbio, o dólar mantém a trajetória de valorização perante o real iniciada na semana passada e retoma o patamar de R$ 1,640. Há pouco, a divisa era negociada a R$ 1,641 na venda, apreciação de 0,48%.

Fora do Ibovespa, pelo segundo dia consecutivo, os Brazilian Depositary Receipts (BRDs - instrumento que permite que empresas estrangeiras tenham ações negociadas no Brasil) da trading agrícola Agrenco e da controladora da Parmalat, a Laep, caem de forma acentuada.

O BDR da Agrenco recuava 17,85%, para R$ 0,69. Na sexta-feira passada, a companhia admitiu que pode entrar em recuperação judicial. Já os papéis Laep declinavam 15,96%, para R$ 1,0.

(Eduardo Campos | Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG