Tamanho do texto

Os mercados acionários ao redor do mundo operam em baixa nesta terça-feira, à medida que o otimismo dos investidores se dissipou e arrastou as Bolsas de Wall Street para os menores níveis dos últimos 12 anos. Temores renovados sobre a situação de capital de algumas das maiores instituições financeiras do mundo também pesam no sentimento do investidor.

Os mercados tiveram breve suspiro de alívio diante de notícias do fim de semana de que o governo Obama estaria interessado não somente em ter uma participação no banco norte-americano Citigroup e sim estatizá-la completamente, mas continuaram agitados pela falta de detalhes a respeito.

"O mercado está agitado com a percepção de que não há detalhes do que esses planos realmente significam e quanto tempo cada um levará para fazer efeito e também por causa dessa política de fazer anúncios que deixam mais questões do que respostas", disse o analista da Calyon Credit Agricola, Stuart Bennett.

Por volta das 10 horas (de Brasília), a Bolsa de Londres caía 0,81%, a de Paris recuava 0,62% e a de Frankfurt tinha baixa de 1,38%. Na Ásia, a Bolsa do Japão fechou em queda de 1,46%, e a de Hong Kong registrou baixa de 2,86%.

As perdas na Europa e Ásia vieram depois das vendas pesadas no mercado de ações em Nova York. Ontem, o índice Dow Jones despencou 3,4%, a 7,114.78 pontos, no menor nível desde 7 de maio de 1997. O índice Standard & Poor's 500 fechou em queda de 3,5%, em 743,33 pontos, no menor patamar desde 11 de abril de 1997.

Nesta terça-feira ganhos modestos são esperados na abertura de Wall Street logo mais, às 11h30 (de Brasília). Ainda no horário citado acima, os índices futuros dos Bolsas de Nova York operavam em alta, com o futuro do Nasdaq 100 subindo 0,31% e o futuro do S&P 500 avançando 0,98%. O estrategista-chefe do IG Index, David Jones, acredita que os próximos dias "realmente parecerão tempos de crise" para os mercados de ações, uma vez que os ganhos do fim de 2008 e início de 2009 já foram devolvidos. As informações são da Associated Press.

Leia mais sobre: mercados

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.