Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Mercados: Melhora de humor limita alta do dólar, que sai a R$ 2,277

SÃO PAULO - A moeda norte-americana começou a semana apontando para cima, recuperando parte da queda de mais de 4% registrada na sexta-feira. No entanto, o ganho do dia foi limitado pela melhora de humor nas bolsas de valores aqui e nos Estados Unidos.

Valor Online |

Depois de registrar alta de 2,6% pela manhã, as compras perderam força e o dólar comercial fechou negociado a R$ 2,275 na compra e R$ 2,277 na venda, alta de 0,30%.

Na roda de "pronto" da Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM & F), a moeda apresentou valorização de 0,31%, finalizando, também, aos R$ 2,277. O giro financeiro ficou em US$ 154 milhões.

Segundo o gerente da mesa de câmbio do Banco Prosper, Jorge Knauer, a formação da taxa de câmbio continua influenciada pelo mercado externo. A alta no preço pela manhã seguiu o estresse nas bolsas norte-americanas, assim como o recuo nas cotações à tarde, acompanhou a virada de humor em Wall Street.

Na avaliação de Knauer, os volumes negociados hoje, tanto no mercado à vista quanto no futuro, não justificariam a grande amplitude de oscilação no preço da moeda norte-americana. "É uma volatilidade importada, que reflete os acontecimentos externos."
Ainda de acordo com o especialista, assim que o cenário internacional tomar uma direção mais consistente, os fundamentos para o mercado de câmbio - como a elevada taxa de juros do Brasil - devem voltar a prevalecer, e o preço da moeda pode se estabilizar ou até mesmo cair.

Knauer também chama atenção para as atuações do Banco Central no mercado de câmbio. Segundo o especialista, os leilões não visam derrubar o preço da moeda, mas sim, conter as acentuadas variações de preço.

O presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, disse, hoje, que as atuações da autoridade monetária no mercado de câmbio somavam US$ 46 bilhões até a sexta-feira da semana passada. A maior parte desse dinheiro, US$ 30 bilhões, foi colocada via swap cambial, operação que não afeta as reservas do país.

Segundo o gerente do Banco Prosper, esse não é um número que assuste e um ponto importante é que o BC consegue segurar as reservas internacionais do país acima dos US$ 200 bilhões, mesmo com suas intervenções.

Pela manhã, o BC colocou todo o lote de 10 mil contratos de swap com vencimento em fevereiro 2009 que ofertou ao mercado. Ainda hoje, a autoridade volta ao mercado para sondar a demanda por rolagem de contratos de swap que vencerão em 1º de dezembro.

(Eduardo Campos | Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG