Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Mercados: Juros na Europa e emprego nos EUA chamam a atenção dos investidores

SÃO PAULO - A quinta-feira concentra alguns dos eventos mais relevantes do mês de julho. Será apresentada, hoje, a decisão de política monetária na Europa e o relatório sobre o mercado de trabalho nos Estados Unidos.

Valor Online |

 

O Banco Central Europeu (BCE) apresenta nesta manhã sua decisão sobre a taxa de juros na zona do euro. O consenso de mercado aponta para uma elevação de 0,25 ponto percentual na taxa, que passaria de 4% para 4,25% ao ano.

A indicação da alta vinha sendo amplamente antecipada pelo presidente do BCE, Jean-Claude Trichet, que alterou em seus pronunciamentos recentes a necessidade de controle da inflação. Em entrevista ontem, Trichet disse que há risco da inflação explodir se as medidas necessárias não forem tomadas.

A alta de juros pelo BCE também pode ser vista como início de um ciclo de aperto monetário nos países desenvolvidos. Os emergentes já estão elevando o custo do dinheiro e restringindo o crédito para tentar conter a escalada de preços ainda concentrada em alimentos e commodities.

Nesta quinta-feira, o Banco da Inglaterra (BoE) soltou relatório sobre as condições de crédito no segundo trimestre. Na semana que vem, acontece a reunião da autoridade monetária, que vem segurando a taxa básica em 5% ao ano, depois de uma redução de 0,25 ponto em abril.

Ainda pela manhã, o Departamento de Trabalho dos EUA traz o desempenho do mercado de trabalho em junho. A previsão é de que foram perdidas de 50 mil a 60 mil vagas no mês passado. Para a taxa de desemprego, que apresenta metodologia diferente, a estimativa é de redução de 5,5% para 5,4%.

Ontem, a ADP, empresa que processa folhas de pagamento, apontou o fechamento de 79 mil postos de trabalho no setor privado americano durante o mês de junho. A queda foi a maior desde novembro de 2002.

A agenda ainda reserva o indicador de atividade no setor de serviços avaliada pelo Instituto de Gerentes de Compras (ISM, na sigla em inglês). A previsão é de leve retração de 51,7 para 51,5. Vale lembrar que qualquer leitura acima de 50 indica expansão. Na terça-feira, o índice de atividade para o setor industrial surpreendeu positivamente ao fechar junho em 50,2.

A quinta-feira também marca o início das comemorações do Dia da Independência nos Estados Unidos. Wall Street encerrá as atividades mais cedo hoje e não abrirá amanhã.

No front interno, atenção para o Índice de Preços ao Consumidor (IPC), da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), referente ao mês de junho.

(Eduardo Campos | Valor Online)

Leia mais sobre mercados

Leia tudo sobre: mercados

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG