Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Mercados: Juros futuros voltam a cair seguindo dólar e cena externa

SÃO PAULO - Os contratos de juros futuros superam a instabilidade registrada no período da manhã e voltam a apontar para baixo na Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM & F). A melhora de humor externo e a conseqüente queda do dólar estimulam a devolução dos prêmios de risco.

Valor Online |

Os investidores também reagem à nova medida do Banco Central (BC) para estimular a liquidez no sistema de crédito. O BC dará desconto no compulsório (parcela de recursos que não podem ser emprestadas) de bancos que comprarem a carteira de crédito de instituições de pequeno e médio porte.

Com a medida, o BC espera colocar até R$ 23,5 bilhões em circulação e melhorar a distribuição de recursos, pois sobra dinheiro para os grandes bancos e falta para os pequenos e médios.

Há pouco, o contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) com vencimento para janeiro de 2010 recuava 0,09 ponto percentual, a 14,45%. Janeiro 2011 tinha baixa de 0,13 ponto, a 14,31%. E janeiro 2012 apontava 14,27%, desvalorização de 0,10 ponto.

Na ponta curta, dezembro de 2008 marcava 13,83%, baixa de 0,02 ponto. E o DI para janeiro de 2009 era negociado a 14%, estável.

Segundo o diretor de gestão na Meta Asset Management, Alexandre Horstmann, a melhora geral de humor que também reflete sobre os DIs vem da expectativa de que o pacote de resgate ao setor financeiro norte-americano seja aprovado pela Câmara dos Representantes em votação esperada para hoje. " Mas ainda estamos longe de um cenário claro. A volatilidade veio para ficar " , pondera.

Ainda de acordo com o especialista, mais um fator influi sobre a formação da curva futura. Ao mexer novamente no compulsório, o BC sinaliza que está enxergando uma restrição de crédito aqui dentro.

Horstmann lembra que, quanto menor a disponibilidade de recursos, menor é o crescimento econômico esperado e isso pode levar o BC a subir menos a taxa de juros. " Todos estão projetando menor crescimento e a política monetária deve se adaptar a isso " , avalia ao especialista.

Ainda de acordo com Horstmann, parte do mercado já acredita que o BC pode encerrar o ciclo de juro agora em outubro, com mais um alta de 0,5 ponto percentual ou de 0,25 ponto percentual.

O próximo encontro do Comitê de Política Monetária (Copom) está agendado para os dias 28 e 29 de outubro. No mês passado, o colegiado puxou a Selic em 0,75 ponto, para 13,75% ao ano.

(Eduardo Campos | Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG