Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Mercados: Juros futuros sobem com expectativa de inflação acima do teto da meta

SÃO PAULO - Alinhados à piora nas expectativas de inflação, os contratos de juros futuros começam a semana em alta na Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM & F). Pela primeira vez no ano, o boletim Focus, do Banco Central (BC), aponta que os agentes estimam inflação acima do teto da meta para 2008. Para o ano que vem, no entanto, a expectativa se manteve inalterada.

Valor Online |

Para o encerramento do ano, o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) deve marcar 6,53%. Pouco acima do teto da meta, fixado em 6,5%. Para 2009, a projeção parou de piorar, ficando estável em 5%, mas ainda acima do centro da meta, de 4,5%.

Há pouco, o contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) com vencimento para janeiro de 2010 operava com aumento de 0,03 ponto, para 14,96%. Janeiro 2011 registrava ganho 0,06 ponto, a 14,94%. E janeiro 2012 apontava 14,73%, avanço de 0,10 ponto.

Entre os contratos mais curtos, agosto de 2008 subia 0,08 ponto, para 12,54%. O vencimento para setembro de 2008 apontava estabilidade a 12,64%. O DI para outubro de 2008 valorizava 0,03 ponto, apontando 12,87%. O contrato com vencimento em janeiro de 2009 subia 0,04 ponto, a 13,50%.

Para o economista-chefe da Austin Rating, Alex Agostini, o Focus de hoje reforça sua expectativa de alta de 0,75 ponto percentual na Selic na reunião de quarta-feira do Comitê de Política Monetária (Copom). É totalmente incoerente querer 0,5 ponto se o Focus mostra inflação acima do teto da meta , avalia.

Ainda de acordo com Agostini, o BC tem que combater a inflação de 2008 para evitar uma inércia e um carregamento de preços maior para 2009. As atenções estão voltadas para 2009. Tem que ter uma ação mais enérgica.

Segundo o economista, o ritmo de 0,75 ponto deverá ser mantido nas próximas reuniões. Chegando em dezembro, se as expectativas estiverem sob controle, com cenário mais equilibrado e preço de commodities em baixa, o colegiado deve voltar para o ritmo de 0,5 ponto. Ainda assim, o BC entra 2009 subindo os juros uma ou duas vezes no primeiro trimestre.

O que determina a política monetária no sistema de metas é a inflação prospectiva e a inércia pela inflação corrente, diz o especialista, minimizando o impacto dos últimos indicadores de preços.

Atualmente, a Selic está fixada em 12,25% ao ano, seguindo dois ajuste de 0,5 ponto percentual implementados em abril e junho. Caso o BC opte pelo 0,75 ponto, a taxa básica vai a 13%, maior patamar nominal desde janeiro de 2007.

(Eduardo Campos | Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG