Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Mercados: Juros futuros fecham sem tendência definida

SÃO PAULO - Os contratos de juros futuros registraram mais um pregão de elevada instabilidade e baixa liquidez. Descolados da queda nas bolsas e da alta no preço do dólar, os contratos operaram em baixa durante boa parte do pregão, mas alguns vencimentos voltaram a apontar para cima no final dos negócios.

Valor Online |

Na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM & F), o contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) com vencimento para janeiro de 2010 apontava alta de 0,03 ponto percentual, para 15,18%. Janeiro 2011 perdeu 0,03 ponto, para 15,95%. E janeiro 2012 apontava 16,17%, com valorização de 0,02 ponto.

Na ponta curta, dezembro de 2008 marcava 13,57%, sem alteração. Já o DI para janeiro de 2009 recuou 0,05 ponto, negociado a 13,67%.

Até as 16h15, antes do ajuste final de posições, foram negociados 203.905 contratos, equivalentes a R$ 17,10 bilhões (US$ 8,01 bilhões). O vencimento de janeiro de 2010 foi o mais negociado, com 108.795 contratos, equivalentes a R$ 9,27 bilhões (US$ 4,34 bilhões).

Segundo o diretor de gestão da Meta Asset Management, Alexandre Hortsmann, apesar de existir bastante prêmio de risco embutido na curva futura, a forte instabilidade externa não permite a queda das taxas. "Por isso, as curvas devem permanecer nesse patamar por um bom tempo."
Ainda de acordo com Hortsmann, a formação da curva fica dividida entre duas visões de cenário. Para alguns, o Banco Central deve retomar o movimento de aperto monetário em função do efeito dólar na inflação. Para outro grupo, a restrição de crédito vai causar um choque de demanda, contendo os preços.

Voltando ao cenário externo, o diretor acredita que os dados negativos quanto à atividade apenas começaram a sair e que só será possível enxergar alguma melhora de ambiente, com recuperação no preço dos principais ativos, depois do segundo semestre de 2009.

"Conforme a situação externa melhorar o DI vai acabar fechando (com as taxas em queda), mas vai demorar até que isso se concretize " , resume.

(Eduardo Campos | Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG