F - Home - iG" /
Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Mercados: Juros futuros acompanham dólar e caem na BM F

SÃO PAULO - A queda no preço do dólar, que recua ante o real pela primeira vez em quatro dias, estimula a devolução de prêmios de risco nos contratos de juros futuros.

Valor Online |

Minutos atrás na Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM & F), o contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) com vencimento para janeiro de 2010 recuava 0,03 ponto percentual, para 14,61%. Janeiro 2011 cedia 0,06 ponto, a 14,32%. E janeiro 2012 apontava 14,09%, desvalorização de 0,05 ponto.

Na ponta curta, outubro de 2008 avançava 0,03 ponto, 13,63%. Novembro de 2008 apontava 13,63% sem alteração. Dezembro de 2008 subia 0,01 ponto, para 13,83%. E janeiro de 2009 era negociado a 14,02%, também sem alteração.

O economista-chefe da Consultoria UpTrend, Jason Vieira, notou que a trégua no dólar está relacionada aos últimos indicadores da economia dos Estados Unidos.

O abrandamento da inflação e o fortalecimento global da moeda americana ante o euro e a libra diminuíram a possibilidade de o Federal Reserve (Fed) subir a taxa básica de juros nos Estados Unidos.

Para Vieira, essa recente rodada de apreciação do dólar e a queda no preço das commodities empurram a possibilidade de juros maiores nos EUA para o primeiro trimestre de 2009. A expectativa anterior era de elevação na taxa básica até o fim deste ano.

Voltando a análise para o mercado interno, Viera aponta que a inflação deixou de ser o principal direcionador da curva futura. A questão agora fica com o cenário externo e com o comportamento do dólar.

Quanto à decisão do Comitê de Política Monetária (Copom), o economista afirma que a turbulência externa justificou a alta de 0,75 ponto percentual implementada na Selic na última quarta-feira, mas que seria perfeitamente adequado o reajuste de 0,5 ponto.

Ainda de acordo com Vieira, a falta de consenso entre os membros do BC - foram 5 votos a favor e 3 pela elevação de 0,5 ponto - começou a pavimentar o caminho para a redução no ritmo de alta de juros na reunião de outubro. Agora os agentes esperam a ata da reunião, que será apresentada na semana que vem, para consolidar essa expectativa.

(Eduardo Campos | Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG