Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Mercados: Investidores voltam-se hoje para dados de emprego dos EUA

SÃO PAULO - O mês de agosto começa com relevante agenda de indicadores. Serão apresentados hoje os dados sobe o mercado de trabalho norte-americano no mês de julho. Por aqui, a atenção está voltada para a produção industrial.

Valor Online |

Às 9 horas, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apresenta a evolução da indústria no mês de junho. A previsão aponta para crescimento de 2,3%, seguindo retração de 0,5% em maio. No comparativo anual, o avanço ficaria em 6%.

Antes disso, a Fundação Getúlio Vargas (FGV) traz o Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) na sua variação semanal, a previsão é de inflação em 0,55%. A agenda interna também reserva a leitura final da balança comercial no mês de julho.

Ainda pela manhã, o Departamento de Trabalho dos Estados Unidos divulga o desempenho do mercado de trabalho em julho. A expectativa é de que foram fechadas 70 mil vagas, seguindo contração de 60 mil postos em junho. Para a taxa de desemprego, a projeção é leve alta, de 5,5% para 5,6%.

Ontem, o mesmo Departamento de Trabalho apontou que os pedidos por seguro-desemprego avançaram em 44 mil na semana passada, totalizando 448 mil requisições, superando as expectativas que apontavam 380 mil.

Na quarta-feira, a ADP, empresa que processa folhas de pagamento, apontou que o setor privado criou 9 mil vagas em julho nos EUA, contrariando a previsão de fechamento de 60 mil postos. O dado foi tomando com sinal de que o mercado de trabalho esboça uma reação depois do fraco desempenho do primeiro semestre.

Ainda nos EUA, serão divulgados os gastos com construção durante o mês de junho e o índice de atividade no setor industrial, medida pelo Instituto dos Gerentes de Compras (ISM).

No âmbito corporativo, atenção para os resultados da Embraer e da Confab. No exterior, são aguardados os resultados da British Airways, Chevron, General Motors, Nissan, Nyse Euronext, Statoil e Total.

Para a semana que vem, a agenda externa reserva a reunião do Federal Reserve (Fed), banco central norte-americano, e renda e os gastos consumidor. Por aqui, estão previstos balanços do Bradesco, Itaú e Unibanco, e os números da Vale do Rio Doce.

(Eduardo Campos | Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG