SÃO PAULO - A terça-feira tem agenda de indicadores exclusivamente externa, com destaque para a ata referente à última reunião do Federal Reserve (Fed), banco central norte-americano. No dia 5, o colegiado optou por manter a taxa básica em 2% ao ano e a ata deve explicitar melhor a consideração sobre o comportamento da inflação e crescimento econômico. O documento será apresentado por volta das 15 horas.

Ante disso, os investidores recebem os dados sobre a venda de moradias novas nos EUA durante o mês de julho. A previsão é queda de 0,9%, para 525 mil unidades na taxa anualizada. Ontem, a Associação Nacional dos Corretores de Imóveis (NAR, na sigla em inglês) divulgou que a venda de imóveis residenciais usados subiu 3% em julho, contrariando a previsão de queda.

Ainda pela manhã, serão apresentadas a confiança do consumidor em agosto e a atividade industrial na região de Richmond, medida pela unidade regional do Fed. Também sairá o índice de preços de imóveis S & P/Case Schiller.

Amanhã, o foco se dirige para o mercado interno, com a divulgação do IPC da Fipe e do IGP-M. Nos EUA, são aguardadas as encomendas por bens duráveis e os estoques de petróleo.

Na quinta-feira, a atenção recai sobre a segunda preliminar do Produto Interno Bruto (PIB) dos EUA no segundo trimestre. Na sexta-feira, serão apresentados a renda e os gastos do consumidor norte-americano.

(Eduardo Campos | Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.