Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Mercados: Índice futuro aponta novo dia de baixa na Bovespa

SÃO PAULO - Alinhada à sinalização proveniente do mercado externo, a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) deve começar a sessão de terça-feira em baixa. Há pouco, o Ibovespa com vencimento em outubro declinava 1,59%, aos 51.

Valor Online |

240 pontos, na Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM & F).

Em Wall Street, os futuros também sugerem quedas. Os investidores acompanhando os pronunciamentos do presidente do Federal Reserve (Fed), banco central norte-americano, Ben Bernanke, e do secretário do Tesouro, Henry Paulson. Os dois falam sobre o plano de US$ 700 bilhões que está em tramitação para salvar o setor financeiro.

Bernanke pediu que o Congresso americano atue com urgência na aprovação do plano. " Apesar dos esforços do Federal Reserve, do Tesouro e de outras agências, os mercados financeiros globais permanecem sob forte estresse " , disse.

Na avaliação de Bernanke, a retirada dos ativos podres que estão nas mãos das instituições financeiras criará liquidez e diminuirá a incerteza.

Os presidentes da Securities and Exchange Commission (SEC, regulador do mercado norte-americano), Christopher Cox, e o diretor da Federal Housing Finance Agency, James Lockhart, também têm discursos agendados.

Depois de dias de negociação os investidores ainda aguardam mais detalhes sobre o plano que poderá tirar bilhões em ativos ilíquidos do balanço dos bancos.

Outros setores também querem entrar no resgate. Segundo o Wall Street Journal (WSJ), montadoras e outras empresas fazem lobby para ter seus ativos problemáticos inclusos no plano do Tesouro.

Na sessão de ontem, essas dúvidas sobre o formato do plano estimularam vendas acentuadas em Wall Street. Os investidores fugiram do dólar já que a percepção é de que o já endividado governo dos Estados Unidos terá que emitir cada vez mais títulos para fazer frente aos problemas financeiros. Além disso, também existe a preocupação de que o resgate não conseguirá evitar uma recessão no país. Com isso, os investidores foram buscar proteção no euro, libra, iene e também nas commodities. O contrato de WTI com vencimento em outubro disparou, ontem, avançado 16%, maior ganho da história, para fechar acima dos US$ 120. Hoje, o vencimento para novembro opera próximo da estabilidade.

O Ibovespa tentou resistir à instabilidade externa, mas a forte pressão vendedora no final do dia puxou o índice para 51.540 pontos, ou baixa de 2,86%. O giro financeiro somou R$ 5,35 bilhões. Em Wall Street, Dow Jones e Nasdaq caíram 3,27% e 4,17%, respectivamente.

Na Europa, a terça-feira é de vendas acentuadas em Londres. Frankfurt também registrava declínio. As bolsas asiáticas fecharam sem tendência definida.

"(Eduardo Campos | Valor Online)"

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG