SÃO PAULO - Acompanhando o ambiente de incerteza externa, os investidores vendem ações na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) depois da disparada de 7,6% registrada ontem. Por volta das 13 horas horas, o Ibovespa apresentava desvalorização de 2,54%, para 48.

281 pontos, com giro financeiro em R$ 2,10 bilhões.

As vendas por aqui se acentuaram, acompanhando o movimento dos índices em Wall Street. Há pouco, o Dow Jones caía 1% e o Nasdaq declinava 1,50%.

No câmbio, depois de uma abertura de pregão indefinida, o dólar passa a refletir o humor externo e as vendas na Bovespa e ganha valor ante o real. Há pouco, a divisa era transacionada a R$ 1,932 na venda, avanço de 1,47%.

Segundo o diretor da Intrader, Edson Hydalgo Júnior, a fonte de incerteza é a votação do pacote de resgate ao setor financeiro norte-americano. Uma proposta semelhante àquela que foi rejeitada pelos congressistas na segunda-feira será apreciada pelos integrantes do Senado ainda hoje.

O especialista nota que a preocupação é com uma nova derrota do governo dos EUA, o que demandaria mais tempo para que uma nova proposta fosse formulada. " Fica a dúvida sobre a vitória no Senado. Se a propostas passar, aumenta a pressão sobre os congressistas, mas, se precisar de um novo plano, o mercado pode buscar novas mínimas. "
As principais alterações no projeto incluem menor tributação para empresas e consumidores e garantia maior para os depósitos bancários. A idéia é elevar de US$ 100 mil para US$ 250 mil o valor dos depósitos garantidos pelo governo.

No lado real da economia, os indicadores continuam bastante ambíguos. A ADP, empresa que processo folhas de pagamento, surpreendeu positivamente ao aponta que o setor privado dos EUA perdeu 8 mil postos de trabalho em setembro, contra a previsão de fechamento de 65 mil vagas.

Foi conhecido, contudo, que o índice de atividade industrial dos EUA caiu de 49,9 em agosto para 43,5 em setembro. Vale lembrar que variações abaixo de 50 indicam contração pela metodologia do Instituto de Gerente de Compras (ISM, na sigla em inglês).

Segundo Júnior, os dados econômicos continuam com sua importância minimizada pela expectativa envolvendo as medidas de resgate ao setor financeiro norte-americano.

Analisando o índice graficamente, o especialista aponta que os 48 mil pontos continuam como relevante suporte ao movimento de baixa. Chama atenção que o próximo patamar, no caso de os 48 mil rompidos, continue sendo os 44.900 pontos.

Tal pontuação marca o auge da crise das hipotecas subprime, que derrubou as bolsas em agosto do ano passado. Em 16 de agosto de 2007, o Ibovespa bateu 44.977 na mínima intradia, pontuação não registrada desde então.

No âmbito corporativo, as vendas são lideradas pelos carros-chefe. Petrobras PN caía 3,16%, pa R$ 33,99, e Vale PNA perdia 4,09%, pa 31,37. Com o quinto maior volume do dia, CSN ON desvalorizava 5,37%, valendo R$ 38,56.

Entre os bancos, Bradesco PN e Itaú PN cediam mais de 3% cada, negociados a R$ 29,94 e R$ 30,90. As units do Unibanco recuavam 4,21%, a R$ 18,63.

A unit da América Latina Logística era negociada a R$ 11,89%, queda de 8,53%. A ação ON da construtora Gafisa desvalorizava 7,55%, a R$ 22,28. Rossi Residencial ON, Lojas Renner ON e Redercard ON tinham baixa superior a 6% cada.

Na ponta oposta, o papel PN da GOL subia 5,94%, saindo a R$ 12,66. Eletropaulo PNB estendia os ganhos de ontem e avançava 5,66%, para R$ 28,00. Ganhos também para o papel PN da Sadia, que aumentavam 5,08%, valendo R$ 5,99.

(Eduardo Campos | Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.