SÃO PAULO - Ao contrário do pregão de ontem, a moeda norte-americana seguiu o desempenho negativo dos outros mercados brasileiros ganhando valor ante o real. O feriado em Wall Street, onde os negócios encerraram mais cedo hoje e não acontecem amanhã, também impõe maior cautela ao investidor.

Depois de uma leve queda para R$ 1,602, as compras voltaram a ganhar força empurrando o dólar para R$ 1,609 na compra e R$ 1,6011 na venda, valorização de 0,49% sobre o fechamento de ontem.

Na roda de pronto da Bolsa de Mercadorias e Futuros (BMF), a moeda fechou com alta de 0,44%, a R$ 1,610. O volume financeiro foi de US$ 606 milhões.

Segundo o operador da Dascam Corretora de Câmbio, Luiz Fernando Moreira, a quinta-feira foi de poucos negócios com o fluxo de divisas já reduzido em função do feriado de 4 de julho nos Estados Unidos.

De acordo com o operador, as empresas que tinham que fechar câmbio, já acertaram seus negócios ontem e hoje pela manhã, o que deixou o dólar sem parâmetro durante a tarde.

Na avaliação de Moreira, altas como a de hoje continuam sendo classificadas como pontuais. Continuo apostando na queda do dólar, afirma.

Segundo ele, a preocupação com cenário externo impede que a moeda norte-americana ganhe valor de forma sustentada, mas, por outro lado, as entradas seguem firmes pressionado a taxa de câmbio para baixo.

Enquanto houver esse equilíbrio de forças, o operador acredita que a moeda fique oscilando entre R$ 1,59 a R$ 1,62.

(Eduardo Campos | Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.