Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Mercados: Dólar tem novo dia alta ante o real e fecha a R$ 2,327

SÃO PAULO - Pelo segundo pregão consecutivo o dólar ganhou valor ante o real, confirmando fechamento acima do patamar de US$ 2,30. A alta esteve alinhada às vendas na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), que retorna ao patamar dos 34 mil pontos.

Valor Online |

Depois de ensaiar queda no começo da tarde, o dólar comercial fechou o dia valendo R$ 2,325 na compra e R$ 2,327 na venda, alta de 2,19%.

Na roda de "pronto" da Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM & F), a moeda apresentou valorização de 2,11%, finalizando aos R$ 2,3205. O giro financeiro ficou em US$ 125,25 milhões. E o giro interbancário somou US$ 2,4 bilhões.

"O mercado está totalmente sem rumo", resume operador de corretora de câmbio que prefere não se identificar.

A moeda abriu pressionada refletindo o pessimismo externo, depois respondeu às atuações do Banco Central, com o dólar comercial reduzindo a alta e o futuro registrando baixa. "Mas quando você acha que está trabalhando em uma tendência, vem uma notícia qualquer e tira o rumo do mercado", diz o especialista.

Hoje, ao agentes acompanharam três atuações distintas do BC: uma rolagem de swap, que movimentou US$ 1,432 bilhões; uma oferta de contratos de swap, com giro de US$ 354,2 milhões; e um empréstimo de dólares com contrapartida em financiamento de exportações no total de US$ 1,155 bilhão.

Ainda de acordo com o operador, o volume de negócios registrados no mercado à vista, continua não sendo compatível com a forte oscilação no preço do dólar, o que ajuda a reforçar a visão de que as operações no mercado futuro continuam determinando o rumo da taxa. "As posições compradas continuam bastante grandes no mercado futuro."
O operador também afirma que é de se admirar como a taxa de câmbio vem se comportando relativamente bem no meio dessa crise. "Mas a questão, agora, é saber até quando temos cacife para segurar essa onda de pessimismo externo", questiona.

O especialista também mudou sua previsão para a taxa de câmbio no fechamento do ano. De R$ 1,90 a R$ 2,0, para R$ 2,10. "E é chute, porque tecnicamente não tem como estimar mais nada."
(Eduardo Campos | Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG