Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Mercados: Dólar sobe para R$ 1,772 e praticamente zera perdas no ano

SÃO PAULO - A queda no preço das commodities e a acentuada aversão a risco criaram espaço para que o dólar continuasse ganhando valor ante o real hoje e retomasse patamares de preço não observados desde janeiro desse ano.

Valor Online |

Nos negócios de hoje as compras se acentuaram na última meia hora de pregão, resultando em valorização de 2,13% para a moeda norte-americana, que fechou a R$ 1,770 na compra e R$ 1,772 na venda.

Com isso, o dólar praticamente zera as perdas acumulado do ano. Vale lembrar que no começo de agosto, a divisa norte-americana perdia mais de 12% ante o real ao longo de 2008. Hoje, a baixa acumulada está em 0,28%.

Na roda de pronto da Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM & F), a moeda fechou com valorização de 2,10%, valendo também R$ 1,772. O volume financeiro somou US$ 289,25 milhões.

Segundo a diretora da AGK Corretora de Câmbio, Miriam Tavares, a formação da taxa entre ontem e hoje refletiu, basicamente, a saída de recursos na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), que retornou para os 48 mil pontos, faixa de preço não observada desde agosto do ano passado.

Para a diretora, os estrangeiros se desfazem das posições em bolsa, em especial daquelas relacionadas ao preço das commodities, e remetem parte dos ganhos para fora, sinal disso é a queda de mais de 6% dos ativos preferenciais da Petrobras e ordinários da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN).

Além disso, a baixa no preço das matérias-primas também prejudica a expectativa quanto aos saldos comerciais do país, o que gera algumas previsões de menor ingresso de divisas no país.

Mas imagino que esse movimento deva ser mais especulativo do que uma aversão ao risco Brasil. Somos uma economia com grau de investimento, e com bons fundamentos, lembra a especialista.

Para Miriam, assim como teve um exagero na supervalorização das commodities e conseqüente queda no preço do dólar, já acontece também um exagero na correção de preços, tanto das commodities como na relação dólar/real.

Ainda de acordo com a diretora, os investidores aproveitam o cenário atual e fazem apostas contra o real no mercado futuro, ou seja, ficam com posições compradas, apostando na valorização do dólar.

No entanto, a especialista espera que em breve os investidores comecem a reverter suas posições reavaliando os ativos brasileiros tanto em bolsa quanto em renda fixa, aplicação que paga uma das maiores taxas de juros do mundo.

(Eduardo Campos | Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG