Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Mercados: Dólar sobe, mas ainda vale menos de R$ 1,580

SÃO PAULO - A moeda norte-americana fechou a terça-feira com leve alta ante o real. Depois de subir a R$ 1,587 na máxima do dia, as compras foram perdendo força e o dólar terminou o dia com leve alta de 0,06%, a R$ 1,577 na compra e R$ 1,579 na venda.

Valor Online |

Já na roda de pronto da Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM & F) as vendas falaram mais alto e a moeda encerrou com baixa de 0,11%, negociada também a R$ 1,579. O volume financeiro somou US$ 462 milhões. O giro interbancário ficou em US$ 2,8 bilhões, pouco abaixo dos cerca de US$ 3,3 bilhões de ontem.

O gerente de câmbio da Fair Corretora, Mário Batistel, acredita que o dólar não encontra muita força para subir ante o real dada a formação das apostas para a decisão do Comitê de Política Monetária (Copom), que amanhã define a taxa básica de juros da economia brasileira.

Segundo o especialista, independentemente do tamanho da alta, se de 0,5 ponto ou de 0,75 ponto percentual, a atratividade das operações de arbitragem de taxa de juros aumenta. Acho que já tem gente migrando para posições em taxa de juros, diz.

De acordo com Batistel, essa mudança de posições dos investidores também é evidenciada pelo comportamento do fluxo de recursos na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa). Em junho, o saldo estrangeiro na bolsa já está negativo em mais de R$ 5 bilhões e o dólar não apresenta valorização ante o real, ou seja, os não residentes estão vendendo ações e investindo em outros instrumentos, sem retirar recursos do país.

O gerente também acredita que a reação do mercado após a decisão do Copom pode determinar o próximo patamar de oscilação do dólar. A divisa enfrentou grande resistência para cair abaixo de R$ 1,600, mas não consegue ir muito além.

Ainda de acordo com Batistel, a tendência para os próximos meses segue de baixa, mas a desvalorização deve ser menos acentuada. Segundo ele, a entrada de dólares via exportação começa a cair em função do esgotamento da safra agrícola e, nessa época do ano, as importações ganham força, com o comércio fechando as compras de produtos para o final de ano.

Batistel também elaborou um ranking comparando a desvalorização do dólar ante cinco moedas. De 31 de dezembro de 2002 até ontem, a divisa que mais ganhou sobre a moeda norte-americana foi o real, que subiu nada menos que 123,37%. Nesse mesmo período, o euro se apreciou em 51,79%, o franco suíço avançou 36,23%, a libra subiu 24,07%, e o iene ganhou 11,39%.

Para o gerente, o que explica o real no topo do ranking, com valorização mais de duas vezes maior que o segundo colocado, é a basicamente a taxa de juros brasileira, que durante o mesmo período figurou entre as maiores do mundo.

(Eduardo Campos | Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG