F - Home - iG" /
Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Mercados: DIs acompanham petróleo e sobem na BM F

SÃO PAULO - Ao contrário da instabilidade observada nas últimas sessões, os contratos de juros futuros operaram em alta durante toda a quinta-feira na Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM & F).

Valor Online |

Ao final do pregão, o contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) com vencimento para janeiro de 2010, o mais negociado hoje, apontava alta de 0,04 ponto, a 14,66% ao ano. O vencimento janeiro 2011 ganhou 0,01 pontos, para a 14,28%. E janeiro 2012 fechou estável a 13,98%.

Entre os curtos, o vencimento para setembro de 2008 aumentou 0,01 ponto, para 12,87. Outubro de 2008 subiu 0,04 pontos, para 13,22%. Novembro de 2008 encerrou a 13,39%, com alta de 0,02 ponto. E o DI para janeiro de 2009 também valorizou 0,02 ponto, para 13,83% ao ano.

Até as 16h15, antes do ajuste final de posições, foram negociados 363.965 contratos, equivalentes a R$ 29,81 bilhões (US$ 18,39 bilhões). O vencimento de janeiro de 2010 foi o mais negociado, com 209.765 contratos, equivalente a R$ 17,41 bilhões (US$ 10,73 bilhões).

Segundo o sócio gestor da Leme Investimentos, Paulo Petrassi, os vencimentos refletem a alta no preço das commodities, em especial o petróleo, que chegou a subir mais de US$ 5, voltando para o patamar de US$ 120.

Outro fator que contribuiu para o aumento nos prêmios de risco foram algumas coletas apontando alta de preços. O que traz certo desconforto sobre a inflação.

No entanto, Petrassi acredita que esse ajuste de alta é um movimento natural do mercado depois das quedas recentes. Além disso, aponta o especialista, o Índice de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15), que será apresentando amanhã pode trazer alguma surpresa positiva, estimulando uma nova rodada de baixa nos vencimentos.

Comentando sobre a condução da política monetária, Petrassi não acredita que a melhora recente da inflação levará o Banco Central a reduzir o ritmo de ajuste da Selic já na reunião de setembro. Mesmo que os dados melhorem mais o BC deve manter o 0,75 ponto.

Ao manter a postura mais austera, o colegiado ganha maior margem contra algum repique no preço das commodities, além de evitar uma baixa mais acentuada nos vencimentos longos.

Para a reunião de outubro, Petrassi acredita em elevação da Selic em 0,5 ponto percentual, e para dezembro, a posta está em aberto, entre nova alta de 0,5 ponto, ou diminuição para 0,25 ponto.

Na gestão da dívida pública, o Tesouro Nacional realizou hoje leilão tradicional de Letras do Tesouro Nacional (LTN), Letras Financeiras do Tesouro (LFT) e Notas do Tesouro Nacional série F (NTN-F). Pelo resultado prévio, todo o lote de LFT, composto por 1 milhão de letras, foi tomado, movimentando R$ 3,563 bilhões. A aceitação das LTNs foi bem menor, com apenas 100 mil letras compradas de 2 milhões ofertadas. Com isso, o giro financeiro somou R$ 92,14 milhões. E nenhuma das 450 mil NTN-Fs colocadas à disposição foi tomada.

(Eduardo Campos | Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG