Tamanho do texto

SÃO PAULO - A agenda de indicadores da sexta-feira é exclusivamente externa, com dados sobre as economias européia e americana.

Nos Estados Unidos, o indicador mais relevante do dia são as vendas de imóveis novos durante o mês de junho. A previsão aponta para queda de 1,5%, seguindo retração de 2,5% em maio. Ontem, a Associação Nacional dos Corretores de Imóveis apontou baixa de 2,6% na venda de imóveis usados.

Também é divulgado os pedidos por bens duráveis durante o mês de junho. A expectativa é de retração de 0,3%, seguindo estabilidade no mês anterior. Excluindo os automóveis da conta, o indicador deve ficar estável.

Ainda nos EUA, a Universidade de Michigan divulga o índice de confiança do consumidor em julho. A projeção é de queda de 56,6 pontos, para 56,4 pontos.

Na Europa, atenção para a prévia do Produto Interno Bruto (PIB) do Reino Unido.

No âmbito corporativo, são apresentados os balanços da Black & Decker, Honda, Infineon Technologies, Legg Manson e Scania.

Para a semana que vem, o foco fica voltado para a ata do Comitê de Política Monetária (Copom), que acelerou o ritmo de alta da Selic para 0,75 ponto percentual. Nos EUA, o destaque fica com a preliminar do PIB no segundo trimestre e os dados sobre o mercado de trabalho em julho.

(Eduardo Campos | Valor Online)