Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Mercados: Commodities caem e levam Bovespa junto

SÃO PAULO - Depois de dois pregões de alta, a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) volta a operar em território negativo, acompanhando a queda no preço das commodities. Por volta das 13 horas, o Ibovespa caía 1,60%, para 54.255 pontos, com giro financeiro em R$ 1,64 bilhão, baixo para o período do dia.

Valor Online |

Segundo do gestor de renda variável da Ático Asset Management, Fernando Barbará, a bolsa continua sendo afetada pelo movimento dos preços das commodities. E, hoje, além do petróleo, os metais também caem de forma acentuada.

Contribuindo para o sentimento negativo com relação ao setor, o JP Morgan desaconselhou o investimento em empresas relacionadas às matérias-primas, falando para os investidores de mercados emergentes não se iludirem com o baixo preço das ações e dar preferências aos papéis relacionados ao consumo interno.

Segundo Barbará, vários bancos e estrategistas internacionais estão com essa visão negativa para as commodities dado o aumento das preocupações com o ritmo de crescimento das principais economias do mundo.

Existe um medo muito grande de um desaquecimento maior no mundo, e isso está pressionando as commodities e, conseqüentemente, as ações de empresas relacionadas, resume.

Com mais de metade do índice relacionado a produtos primários não tem como a bolsa brasileira escapar de tal movimento. Puxando as perdas do dia, Vale PNA caía 2,73%, para R$ 35,51, e Petrobras PN perdia 3,11% para R$ 32,40.

Queda acentuada também para as siderúrgicas. Usiminas PNA recuava 4,58%, para R$ 53,43. Gerdau PN perdia 2,81%, para R$ 28,35, e CSN ON se desvalorizava 3,67%, para R$ 52,20. Ontem, a companhia reportou lucro de R$ 1,03 bilhão para o segundo trimestre do ano, leve alta de 8% no comparativo anual. O resultado não agradou os analistas externos que esperavam um pouco maior. Para a Brascan Corretora, o resultado veio dentro do esperado, e a corretora mantém a recomendação outperform, com preço justo de R$ 89,92 por ação.

No setor financeiro, destaque para a ação ON do Banco do Brasil, que subia 2,20%, para R$ 22,28. O banco estatal fechou o trimestre com ganho líquido de R$ 1,6 bilhão, alta de 54% no comparativo anual.

A baixa do petróleo beneficia o setor aéreo. Há pouco, o papel PN da TAM ganhava 3,42%, para R$ 34,70, enquanto o PN da GOL subia 2,79%, para R$ 16,20.

Fora do índice, as ações da BM & F ON e Bovespa ON caíram mais de 3% cada para R$ 10,07 e R$ 14,46, respectivamente. Ontem, as companhias apresentam o primeiro balanço de forma consolidada. O ganho líquido foi de R$ 329 milhões no semestre, crescimento de 1,8% no comparativo anual.

Queda acentuada para a incorporadora Inpar, que reduziu suas projeções de vendas e lançamentos em 2008 apontando condições desfavoráveis no mercado de crédito corporativo. O papel ON caía 7,12%, para R$ 3,39.

Em Wall Street, a baixa no preço do petróleo segura os investidores na ponta compradora apesar do crescimento menor do que o esperado na confiança do norte-americano. Há pouco, o Dow Jones subia 0,36%, enquanto o Nasdaq ganhava 0,10%.

No câmbio, a valorização do dólar ante o real está alinhada com o ganho de valor da divisa norte-americana sobre o euro e a libra. Operadores também chamam atenção para a saída de recursos. Há pouco, a moeda era transacionada a R$ 1,637 na venda, alta de 0,67%.

(Eduardo Campos | Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG