Tamanho do texto

SÃO PAULO - O retrocesso nas negociações entre republicanos e democratas em torno do plano de resgate ao setor financeiro acabou com o sentimento positivo de ontem e leva os investidores a desfazer suas posições na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa). Por volta das 11 horas, o Ibovespa declinava 2,94%, para 50.

303 pontos, com giro financeiro em R$ 685 milhões.

O dia também começa de forma negativa em Wall Street, onde Dow Jones apresentava queda de 1,02% e o Nasdaq recuava 1,67%.

A divergência entre os congressistas é grande e o acordo que foi fechado na tarde de ontem sobre as bases do projeto desenhado para resgatar o sistema financeiro dos Estados Unidos durou poucas horas.

O presidente George W. Bush voltou à cena nessa manhã e destacou em pronunciamento a necessidade de urgência nas negociações, mas disse que pacote será aprovado.

Além da incerteza sobre a aprovação do projeto, os investidores também lidam com mais uma baixa no setor financeiro. Os órgãos reguladores tomaram o controle dos ativos do Washington Mutual, configurando a maior falência da história do sistema financeiro norte-americano, e venderam o que sobrou por US$ 1,9 bilhão ao JP Morgan.

No lado econômico, o Departamento de Comércio dos Estados Unidos apresentou a leitura final sobre o crescimento da economia no segundo trimestre. O produto interno Bruto (PIB) foi revisado para baixo, de 3,3% para 2,8%
O ambiente negativo também tem efeito sobre a formação da taxa de câmbio, com o dólar recuperando as perdas registradas na sessão de ontem. Há pouco, o divisa era transacionada a R$ 1,854 na venda, apreciação de 1,75%.

Dentro do índice, o destaque negativo do pregão, como esperado, fica com a ação PN da Sadia, que desabava 27,63%, para R$ 6,73, com o segundo maior volume financeiro do pregão. Ontem, a companhia reconheceu um prejuízo financeiro de R$ 760 milhões em função de perdas com derivativos de câmbio.

Quedas também para os ativos de maior liquidez. Petrobras PN recuava 2,91%, a R$ 35,00. Vale PNA cedia 2,56%, saindo a R$ 34,90, e CSN ON desvalorizava 4,0%, para R$ 44,30.

As fabricantes de papel e celulose também perdem valor de forma acentuada. Aracruz PNB diminuía 13,19%, a R$ 7,30. Como a Sadia, a empresa anunciou perdas com operações financeiras no mercado de câmbio, mas ainda não apresentou o tamanho do rombo. Ainda no setor, VCP PN recuava 9,79%, para R$ 31,48.

Descolada da instabilidade, TIM Part ON subia 2,69%, para R$ 6,85. Eletrobrás PNB ganhava 2,31%, cotado a R$ 23,83, e Nossa Caixa ON aumentava 1,13%, a R$ 41,70.

(Eduardo Campos | Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.