Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Mercados: Bovespa ensaia recuperação avançando 0,14%; dólar cai 0,06%, para R$ 1,610

SÃO PAULO - Depois de perder mais de 8,8% em três dias, a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) ensaia uma recuperação, mas a tentativa de alta esbarra no fraco desempenho do setor siderúrgico. Por volta das 13h10, o Ibovespa avançava 0,14%, para 59.535 pontos. A falta de referencial externo, em função do feriado em Nova York, limita o número de negócios, e reduz o giro financeiro, que estava em R$ 1,36 bilhão, contra uma média de mais de R$ 2,5 bilhões para o horário.

Valor Online |

No câmbio, o dólar oscila próximo da estabilidade depois que o leilão de compra do Banco Central (BC) reteve uma tentativa de baixa. Há pouco, o dólar valia R$ 1,610 na venda, com perda de 0,06%.

De acordo com o operador de mercado que prefere não se identificar, as oscilações no mercado brasileiro são meio de mentira hoje, devido à ausência do investidor estrangeiro, agente que responde pela maior fatia de recursos movimentados diariamente na bolsa.

O operador comentou que o cenário continua muito negativo e alguma possibilidade de melhora só aparecerá depois de sanadas uma série de dúvidas quanto à economia americana, quando se tiver certeza de que os bancos pararam de perder dinheiro com o crédito subprime e até onde vai a pressão inflacionária mundial.

Está todo mundo revendo projeções. E o mercado não espera, ele sempre se antecipa , diz, avaliado que há um pouco de exagero nessa antecipação de expectativas negativas.

Para o operador, dificilmente os balanços do segundo trimestre podem dar fôlego ao mercado brasileiro e empresas com resultados ruins verão suas ações ainda mais penalizadas. Podemos ter espasmos de melhora dentro uma tendência negativa. O mercado é ruim, mas já aparecem muitas oportunidades para ganhar.

Dentro do Ibovespa, os avanços são sustentados pela ação PN da Petrobras, que subia 1,62%, para R$ 43,24, e pelo papel PNA da Vale, que aumentava 2,20%, para R$ 43,65.

Os bancos também operam em território positivo. Bradesco PN ganhava 0,63%, para R$ 31,50. Itaú PN valorizava 0,61%, para R$ 31,10. E as units do Unibanco tinham elevação de 0,30%, para R$ 19,46.

Atuando em direção contrária, as siderúrgicas continuam perdendo valor. Gerdau PN puxava a fila, caindo 2,03%, para R$ 33,30. CSN ON perdia 2,21%, para R$ 58,65, e Usiminas PNA recuava 1,71%, para R$ 67,03.

Destaque de alta para a ação ON da Light, de 6,45%, para R$ 21,95. Ainda no setor elétrico, que é visto como forma de proteção, pois os reajustes de tarifa acompanham a inflação, CPFL ON ganhava 2,03%, para R$ 35,10.

Na ponta oposta, as aéreas continuam caindo. O setor é bastante prejudicado pela constante alta do petróleo. Ainda hoje, a Gol apresentou estatísticas de vôo pouco animadoras, com menor taxa de ocupação no comparativo anual. Há pouco, o papel PN perdia 5,85%, para R$ 13,84. A companheira de setor, TAM, vinha logo atrás, com a ação PN cedendo 3,89%, para R$ 24,40.

(Eduardo Campos | Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG