Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Mercados: Bovespa em baixa e perde 2,36%; dólar sobe 0,92%, a R$ 2,298

SÃO PAULO - Deixando para trás uma tentativa de recuperação, a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) volta a firmar posição em território negativo. Ao redor das 13h10, o Ibovespa desvalorizava 2,36%, aos 34.

Valor Online |

874 pontos. O giro financeiro estava em R$ 992 milhões.

Em Wall Street, o dia se desenhava de forma bastante pessimista, com queda acentuada nos índices futuros. Mas o humor do investidor melhorou um pouco depois que a Hewlett-Packard (HP) anunciou resultados trimestrais acima do esperado. A notícia chegou a puxar o Dow Jones para o território positivo, mas, há pouco, o indicador caía 0,11%, devolvendo os ganhos observados na abertura, enquanto a Nasdaq recuava 0,53%.

Os agentes também receberam o Índice de Preços ao Produtor (PPI) norte-americano, que caiu 2,8% no mês passado, superando a expectativa. Por outro lado, o núcleo do indicador, que exclui os alimentos e a energia, subiu 0,4%, contra previsão de alta de 0,1%. Amanhã será conhecido o índice de preços ao consumidor dos EUA.

Em pronunciamento ao Comitê de Serviços Financeiros dos EUA, o secretário do Tesouro, Henry Paulson, e o presidente do Federal Reserve (Fed) banco central norte-americano, Ben Bernanke, defenderam seu modelo de gestão do plano de US$ 700 bilhões voltado para o resgate ao setor financeiro (Troubled Asset Relief Program - TARP), que passou a ter um foco maior no consumidor norte-americano. Bernanke também disse que enxerga alguma melhora nos mercados de créditos, mas que no geral as condições continuam longe do normal.

O setor automotivo norte-americano também requer atenção. Executivos da Ford, General Motors, Chrysler e do sindicato United Auto Workers (UAW) terão uma audiência no Comitê Bancário do Senado. As montadoras buscam US$ 25 bilhões em ajuda governamental. Os democratas apóiam o resgate, mas os republicanos e o governo George W. Bush são contra.

Segundo o diretor da Indusval Corretora, José Costa Gonçalves, um plano de ajuda às montadoras dos EUA deve ser anunciado, o que ajudaria a reduzir a incerteza entre os investidores. Para Costa, não tem saída. Os congressistas dos EUA não devem colocar em risco mais de 4 milhões de empregos.

Voltando o foco para a Bovespa, o diretor avalia que, apesar da instabilidade, já é possível notar que o mercado começa a ganhar algum foco.

De acordo com Costa, os investidores começam a prestar mais atenção ao setor de serviços públicos - energia, saneamento e telecomunicações - que sofre menos em momentos de menor crescimento econômico. " Tem comprador final em alguns setores, e isso é um sinal positivo. "
Ainda de acordo com o especialista, aquele período de pânico, como observado em outubro, já foi superado e uma indicação disso é que as posições compradas e vendidas estão equilibradas, ou seja, ninguém quer se arriscar muito para qualquer lado.

Dentro do Ibovespa, desempenho positivo para as ações ON da Eletrobrás, que aumentavam 3,28%, para R$ 27,37, CPFL Energia ON subia 1,92%, a R$ 33,49. Telesp PN ganhava 3,05%, a R$ 51,22, e Sabesp ON valorizava 1,26%, saindo a R$ 25,70. Segundo Costa, o que dá a esses papéis o caráter defensivo é a simples idéia de que, mesmo em momento de crise, as pessoas ligam a luz e falam ao telefone. " A queda de consumo é muito pequena. Você tem que usar esses serviços de qualquer forma. "
Segurando o Ibovespa em território negativo, Petrobras PN diminuía 1,22%, a R$ 20,20, e Vale PNA desvalorizava 2,79%, a R$ 23,68. Queda também para os bancos: Itaú PN valia 3,29% menos, negociado a R$ 24,92, e Bradesco PN recuava 2,94%, para R$ 23,05.

No câmbio, a aversão a risco resulta em mais um dia de alta no preço da moeda norte-americana. Há pouco, o dólar comercial valia R$ 2,298 na venda, valorização de 0,92%. O Banco Central (BC) efetuará, ainda hoje, dois leilões diferentes: uma rolagem de swap e uma oferta de contratos de swap. No leilão de empréstimo de dólares com contrapartida em financiamento de exportações, o BC colocou US$ 1,155 bilhão junto aos bancos.

(Eduardo Campos | Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG