SÃO PAULO - Depois dos ganhos registrados na sessão de ontem, a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) pode voltar a operar em território negativo. A indicação de baixa é dada pelo mercado futuro, onde o Ibovespa com vencimento em agosto cedia 0,57%, aos 60.500 pontos.

Indicação de venda também em Wall Street, onde resultados corporativos e o petróleo de volta ao US$ 146 o barril pesam sobre o humor do investidor. Além disso, segue a preocupação com o setor financeiro, principalmente com as financeiras hipotecárias Fannie Mae e Freddie Mac.

Hoje, o conglomerado financeiro e industrial General Electric (GE) apresentou os resultados do segundo trimestre. Apesar da queda no lucro, os números vieram dentro do esperado.

Na agenda do dia, atenção para os preços de importação, resultado da balança comercial e confiança do consumidor americano
Na Europa, a sexta-feira também é de perdas. A alta do petróleo puxava os índices para o território negativo. Na Ásia, o último dia útil da semana acabou sem tendência definida.

Na sessão de ontem, o Ibovespa reverteu as perdas de 2% observada no começo do pregão e encerrou o dia com alta de 1,20%, aos 60.252 pontos. O giro financeiro somou R$ 6,35 bilhões. Destaque para as siderúrgicas e elétricas que fizeram frente à queda no preço das ações da Petrobras e da Vale. Em Wall Street, Dow Jones subiu 0,73% e o Nasdaq ganhou 1,03%.

(Eduardo Campos | Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.