Tamanho do texto

SÃO PAULO - A semana começou com ganho na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), dólar abaixo de R$ 1,58 e juros futuros apontando para cima. O cenário externo indefinido não fez preço na Bovespa, que retomou os 60 mil pontos apoiada nas ações da Petrobras, Vale e siderúrgicas. O índice fechou o dia com ganho de 1,31%, aos 60.771 pontos, com giro em R$ 6,06 bilhões.

Em Wall Street, o pregão começou de forma positiva depois que mais um banco, o Bank of America, apresentou resultados acima do esperado. No entanto as compras não se firmaram e o Dow Jones encerrou com declínio de 0,25%. O Nasdaq cedeu 0,14%.

No câmbio, o excesso de dólares no mercado e a expectativa de juros maiores no Brasil garantiram mais um pregão de queda para a moeda estrangeira. Em baixa desde o começo dos negócios, o dólar comercial terminou a R$ 1,576 na compra e R$ 1,578 na venda, redução de 0,69%. O valor é o menor registrado desde 19 de janeiro de 1999, quando a moeda fechou a R$ 1,558.

Na roda de pronto da Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM & F), a divisa encerrou com desvalorização de 0,52%, negociada a R$ 1,5808. O volume financeiro somou US$ 380,25 milhões.

A cautela antes da reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) e nova piora nas projeções de inflação garantiu alta para os juros futuros.

Pela primeira vez no ano, o boletim Focus, do Banco Central (BC), apontou que os agentes estimam inflação acima do teto da meta para 2008. Para o ano que vem, no entanto, a expectativa se manteve inalterada.

Para o encerramento de 2008, o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) deve marcar 6,53%. Pouco acima do teto da meta, fixado em 6,5%. Para 2009, a projeção parou de piorar, ficando estável em 5%, mas ainda está acima do centro da meta, de 4,5%.

Na BM & F, o contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) com vencimento em janeiro de 2010, o mais negociado, acabou com alta de 0,10 ponto, a 15,03% ao ano. O vencimento janeiro 2011 subiu 0,15 ponto, também a 15,03%. E janeiro 2012 avançou 0,15 ponto, para 14,78%.

Na ponta curta, agosto de 2008 teve expansão de 0,08 ponto, projetando 12,54%. Setembro de 2008 fechou estável a 12,64%. Outubro de 2008 ganhou 0,05 ponto, para 12,89% ao ano. E o DI para janeiro de 2009 fechou com elevação de 0,07 ponto percentual, para 13,53% anuais.

Até as 16h15, antes do ajuste final de posições, foram negociados 329.960 contratos, equivalentes a R$ 28,18 bilhões (US$ 17,68 bilhões), montante 53% menor do que o registrado na sexta-feira da semana passada. O vencimento de janeiro de 2010 foi o mais negociado, com 126.145 contratos, equivalente a R$ 10,29 bilhões (US$ 6,45 bilhões).

(Eduardo Campos | Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.