Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Mercados: Bovespa cai 1,06%; dólar sobe 5,6% mesmo após leilões

SÃO PAULO - O mercado financeiro sustenta o mau humor nesta tarde, com a bolsa paulista em queda, acompanhando as perdas em Nova York, e o dólar avançando com força. Às 15h45 o Ibovespa marcava queda de 1,06%, aos 39.

Valor Online |

017 pontos e giro financeiro de R$ 2,652 bilhões. O dólar comercial era comprado a R$ 2,2450 e vendido a R$ 2,2480, com alta de 5,78%.

Analistas financeiros acreditam que a valorização do dólar nesta jornada é exagerada. Outras moedas de países emergentes também estão sofrendo desvalorização frente ao dólar. Para Alexandre Horstmann, diretor de gestão da Meta Asset Management, assim como o real era a moeda emergente mais favorecida pela confiança e pela liquidez global, num cenário que se inverte essa tendência é natural que o real seja também a divisa que mais sofre.

Entre outras divisas de países de economia emergente, a lira turca cai 5,5% em relação ao dólar, a moeda polonesa (o zloty) cai 4,8% e o rand da África do Sul cede 4,5%. O peso chileno declina 3,5%.

Os agentes concordam que essa tendência global está dando o tom das negociações nesta jornada, mas concordam também que pode estar havendo um forte nível de arbitragem da moeda por meio do mercado futuro. Desde o fechamento de ontem, os contratos de o dólar negociados na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM & F) estão se valorizando mais do que a moeda a vista, o que força também a alta no mercado pronto.

" Concordo que boa parte da alta é especulativa, mas também podem estar ocorrendo alguma saída pontual de recursos " , diz Marcelo Voss, economista-chefe da corretora Liquidez. Vale notar que essa apreciação insistente do dólar atravessou um leilão de swap com venda integral de US$ 500,1 milhões e dois leilões de moeda no mercado à vista feitos pelo BC com menos de uma hora de intervalo. As taxas de corte foram de R$ 2,2330 e de R$ 2,23, respectivamente.

No mercado acionário, não há notícias de peso para sustentar a desvalorização. Depois da forte recuperação de ontem, os agentes encaram a baixa neste pregão como uma realização de lucros natural e saudável, dado o grau de volatilidade e incerteza que ainda ronda os mercados globais.

Wall Street reagiu mal na abertura por causa de balanços frustrantes e perspectivas mais pessimistas para os resultados de algumas empresas, mas os agentes ponderam que as vendas do dia, tanto lá como aqui, traduzem oportunidade de realização de lucros de curto prazo, pelo menos enquanto não chegam notícias de verdadeiro impacto para os negócios.

(Bianca Ribeiro | Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG