Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Mercados: Bovespa aumenta 0,99%, apoiada nas ações da Petrobras

SÃO PAULO - Apesar da instabilidade no mercado norte-americano, a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) segue operando em território positivo. Ao redor de 12h45, o Ibovespa apresentava valorização de 0,99%, somando 50.

Valor Online |

081 pontos, com giro financeiro em R$ 1,70 bilhão.

O diretor de operações da Novação Corretora, Carlos Alberto de Oliveira Ribeiro, nota que a bolsa se sustenta no bom desempenho das ações da Petrobras, que sobem com força acompanhando o preço do petróleo.

O especialista observa, no entanto, que o mercado segue em compasso de espera. Os congressistas norte-americanos ainda discutem o plano de resgate do setor financeiro, que prevê US$ 700 bilhões para limpar ativos ilíquidos dos balanços dos bancos. " O pacote deve sair, o problema é quando " , ressalta Ribeiro.

Em novo discurso ao Senado, o presidente do Federal Reserve (Fed), banco central norte-americano, Ben Bernanke, voltou a indicar a importância da estabilidade nos mercado para o crescimento da economia. Ele descartou a existência de impactos negativos do plano na inflação.

Por aqui, o governo brasileiro começou a se mexer para conter a influência da restrição de crédito na economia interna. O Banco Central (BC) flexibilizou as regras para os depósitos compulsórios (parcela de recurso que os bancos não podem emprestar) para liberar mais dinheiro no mercado.

Segundo Ribeiro, a medida deve ser encarada de forma positiva, pois melhora a oferta de crédito e diminui o risco de maior contaminação da economia brasileira. " O Banco Central fez o que se esperava dele. A crise preocupa e exige providências. "
Foram anunciadas alterações nos compulsório sobre depósitos a prazo, de poupança e à vista, que devem resultar na liberação de R$ 5,2 bilhões já na semana que vem. Também foram alterado prazos de adoção de alíquotas sobre operação de leasing que devem resultar em uma sobra de R$ 8 bilhões no caixa dos bancos.

De volta ao âmbito corporativo, destaque para o papel PN da Petrobras, que ganhava 4,27%, a R$ 34,67. O ativo ON da estatal subia 4,29%, negociado a R$ 42,75. Desempenho positivo também para a ação PNA da Vale, que aumentava 1,43%, cotada a R$ 34,00, recuperando parte das perdas dos últimos dois pregões.

Com avanço mais tímido, Usiminas PNA valorizava 0,33%, para R$ 44,30, e Gerdau PN era negociada a R$ 23,48, ganho de 0,34%.

Ainda na ponta compradora, o ativo ON do Banco Nossa Caixa avançava 3,47%, a R$ 40,15. Já o papel ON do Banco do Brasil, que está para incorporar a Nossa Caixa, perdia 1,35%, a R$ 21,83. Ainda no setor, Itaú PN tinha elevação de 0,06%, a R$ 30,02 e Bradesco PN diminuía 0,17%, negociado a R$ 29,15.

Puxando as vendas, Cesp PNB registrava baixa de 5,75%, para R$ 15,08. JBS ON cedia 6,41%, a R$ 4,52, e Rossi Residencial ON valia R$ 6,63, queda de 5,28%.

Em Wall Street, o Dow Jones oscila entre ganhos e perdas - há pouco, recuava 0,26%. Com tendência mais definida, a bolsa eletrônica Nasdaq tinha alta de 0,32%.

No câmbio, depois de uma tentativa de baixa pela manhã, as compras voltaram a predominar, segurando o dólar acima de R$ 1,830. Há pouco, a moeda era transacionada a R$ 1,846 na venda, apreciação de 0,81%.

(Eduardo Campos | Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG