SÃO PAULO - A aversão a risco segue elevada, assim como as preocupações com o cenário de inflação, o que garante mais um dia de alta para os contratos de juros futuros.

Na Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM & F), o contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) com vencimento em janeiro de 2009 apresentou alta de 0,07 ponto percentual, para 13,43%, anuais. Janeiro de 2010, o mais negociado hoje, acabou com ganho de 0,15 ponto, a 15,34% ao ano. O vencimento janeiro 2011 valorizou 0,13 ponto, para 15,54%. E janeiro 2012 avançou 0,09 ponto, para 15,25%.

Na ponta curta, agosto de 2008 encerrou com alta de 0,05 ponto, para 12,32%. Setembro de 2008 também subiu 0,04 ponto, para 12,55%. E o vencimento para outubro de 2008 fechou a 12,78%, de 0,04 ponto.

Até as 16h15, antes do ajuste final de posições, foram negociados 585.355 contratos, equivalentes a R$ 47,66 bilhões (US$ 29,67 bilhões), montante 39% menor do que o movimentado ontem. O vencimento de janeiro de 2010 foi o mais negociado, com 363.355 contratos, equivalente a R$ 29,32 bilhões (US$ 18,26 bilhões).

Segundo o vice-presidente da Associação Nacional das Instituições de Crédito, Financiamento e Investimento (Acrefi), José Arthur Assunção, a dinâmica do mercado é a seguinte: as curvas inclinam conforme cresce a expectativa de inflação. Esse é o melhor termômetro que temos, pois é um mercado, não é uma opinião , avalia.

Para Assunção, o Banco Central terá de mostrar pulso firme contra os três tipos de inflação que, na sua avaliação, assolam a economia brasileira: demanda, alimentos e estrutural.

O que o BC pode fazer é aumentar os juros e para isso vai ter de mostrar que está no comando. O BC já aumentou a taxa duas vezes em 0,5 ponto, mas as expectativas de inflação nem balançaram. Pelo contrário, elas subiram.

Para ilustrar sua afirmação, Assunção aponta o comportamento das projeções do boletim Focus, do BC. A previsão para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que baliza a política de metas, sobe a 14 semanas consecutivas, apontando 6,3% no fechamento do ano. A expectativa está cada mais próxima do teto da meta de inflação de 6,5%. As projeções para 2009 também pioraram, mas de forma menos acentuada. Pelo Focus, a inflação oficial deve encerrar 2009 em 4,8%.

Segundo o especialista, para acabar com esse movimento de deterioração nas expectativas o BC terá que ser mais enérgico, subindo a Selic em 0,75 ponto percentual ou 1 ponto na reunião deste mês, agendada para os dias 22 e 23.

O BC vai ter de dar uma pancada nos juros para que mude a percepção da sociedade quanto ao futuro da inflação. Tem de ser um pouco mais enérgico para tentar mudar essa expectativa , afirma.

Ainda de acordo com Assunção, o ciclo de aperto monetário deve ser prolongado para além de 2008, com elevações de juros ainda necessárias durante o primeiro trimestre de 2009.

O Tesouro Nacional realizou hoje leilão de troca de Letras do Tesouro Nacional (LTN) e Letras Financeiras do Tesouro (LFT). Durante todo o mês de julho estão previstos vencimentos de títulos no montante de R$ 80,5 bilhões, sendo R$ 77,3 bilhões de títulos com rentabilidade prefixada.

(Eduardo Campos | Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.