SÃO PAULO - Depois de um passeio na faixa dos 47.600 pontos no final da manhã, a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) recobrou a força e fechou a quarta-feira em território positivo, recuperando parte das perdas de 6,7% amargadas na segunda e terça-feira.

Ao final do pregão, o Ibovespa apontava alta de 2,47%, aos 49.633 pontos. Este foi o maior ganho diário desde 20 de agosto. Chama atenção o volume financeiro de R$ 6,24 bilhões, o maior desde o dia 30 de julho, para dias sem vencimento de opções e índice.

Segundo o gerente de renda variável da Modal Asset Management, Eduardo Roche, o destaque do pregão ficou com as ações PNA da Vale do Rio Doce, que subiram 5,72%, para R$ 35,25, e comandaram a recuperação do índice no dia.

Também chamaram atenção as ações PN da Petrobras, que negociaram mais de R$ 1,5 bilhão. O papel chegou a cair 5,25%, antes de fechar o dia com alta de 1,16%, a R$ 28,68. De acordo com Roche, a dinâmica do papel observada pela manhã sinaliza o desmanche de posições de grandes investidores estrangeiros.

Coincidência ou não, após o encerramento dos negócios, a Petrobras anunciou oficialmente uma estimativa de 3 bilhões e 4 bilhões de barris de petróleo leve e gás natural recuperáveis na camada pré-sal da Bacia de Santos, no campo de Iara.

Forte recuperação, também, para o ativo ON da BM & FBovespa, que teve ganho de 0,86%, para R$ 9,28, depois de cair mais de 7% durante o pregão.

Ainda de acordo com Roche, essa extremada volatilidade que o Ibovespa vem apresentado deve continuar sendo a regra no mercado de renda variável enquanto o ambiente externo continuar gerando incerteza. Existe espaço para correções de alta, mas não existe direção de curto prazo, pondera.

Além de Petrobras e Vale, a contribuição de alta foi variada, com ganhos no segmentos financeiro e siderúrgico. O papel PN da Gerdau ganhou 4,93%, para R$ 24,25, e ON da CSN subiu 4,21%, para R$ 44,50. Entre os bancos, destaque para o papel ON do Banco do Brasil, que fechou aos R$ 22,24, apresentando valorização de 3,48%.

Depois de perder valor de forma acentuada em quase todas as sessões do mês, o papel ON da JBS, dona do frigorífico Friboi, subiu 9,56%, para R$ 5,73. As também fabricantes de alimentos Perdigão ON e Sadia PN ganharam mais de 5% cada, para R$ 41,61 e R$ 10,80, respectivamente.

Fora da recuperação, a ação ON da Cosan estendeu a perda de 10% amargada ontem caindo outros 5,38%, para R$ 17,40. Baixa também para Eletrobrás ON que fechou com perda de 2,92%, para R$ 26,57.

No setor imobiliário, o foco ficou voltado para as ações da Brascan Residential Properties e da Company. A Brascan anunciou uma proposta de reestruturação que resultará na incorporação da Company. O negócio envolve troca de ações e o pagamento de R$ 200 milhões em dinheiro. Depois de ganhos pela manhã, o papel ON da Brascan fechou estável a R$ 6,0, enquanto o ativo ON da Company caiu 11,61%, a R$ 8,90.

(Eduardo Campos | Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.