Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Mercado reduz de novo previsão do IPCA

A desaceleração dos índices de preços e a queda das principais commodities internacionais reduziram as projeções do mercado financeiro para a inflação deste ano. Na pesquisa Focus divulgada ontem pelo Banco Central, a aposta do mercado para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) caiu de 6,54% para 6,45% e retornou ao intervalo previsto pela meta de inflação, que vai até 6,5%.

Agência Estado |

Apesar disso, as expectativas para a taxa de juro voltaram a subir.

O retorno da projeção da inflação para dentro da meta foi pouco comemorada no mercado. Analistas disseram que a queda do número foi pontual e é reflexo, apenas, da inflação corrente. Marcela Prada, da Tendências Consultoria, explica que o próprio mercado esperava inflação de 0,6% em julho. "Mas o número foi menor: 0,53%. Só isso já explica boa parte da queda da previsão para o ano."

Essa redução recente da inflação foi provocada pela queda de preço das commodities internacionais, como o petróleo e o milho. O efeito mais explícito desse movimento foi visto na expectativa para o Índice Geral de Preços ao Mercado (IGP-M), diretamente influenciado pelo comportamento dos preços no atacado, e usado para reajustar tarifas públicas e os aluguéis. A estimativa para o índice em 2008 caiu quase 1 ponto porcentual, de 12% para 11,04%.

Apesar da boa notícia, analistas continuam pessimistas com a política monetária. Na pesquisa, a estimativa para o juro no fim do ano subiu de 14,5% para 14,75%, o que representa uma aposta de aumento da taxa Selic de 0,75 ponto em setembro e duas altas de 0,5 ponto em outubro e dezembro, respectivamente. Para Marcela Prada, esse aumento ainda reflete o ajuste das previsões feito por analistas após o aumento da taxa na reunião do fim de julho.

O juro mais alto deve segurar a inflação em 2009, de acordo com a avaliação do mercado, que manteve a expectativa de IPCA de 5% no próximo ano. Mas a má notícia é que o aperto monetário desacelera a economia. Tanto que a projeção de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) em 2009 caiu de 3,9% para 3,73%.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG