Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Mercado nos EUA mudou de direção na sexta com expectativa de socorro

SÃO PAULO - Os índices Dow Jones e S & P 500 subiram na sexta-feira, depois de passar a maior parte do dia em baixa, impulsionados pelas ações de grandes bancos com a expectativa de que o Congresso americano aprove o resgate de US$ 700 bilhões para o setor financeiro. O índice Nasdaq caiu, com as ações de tecnologia se debatendo após a perspectiva decepcionante da Research In Motion.

Valor Online |

O índice Dow Jones, referência da bolsa de Nova York, avançou 1,10%, para 11.143 pontos, enquanto o índice Standard & Poor ? s 500 teve valorização de 0,34%, para 1.213 pontos. Por sua vez, o termômetro de tecnologia Nasdaq apresentou variação negativa de 0,15%, para 2.183 pontos. Na semana, no entanto, houve perdas e para o S & P 500 foi o pior período semanal desde maio. Na semana, o Dow caiu 2,1%, o S & P recuou 3,2% e o Nasdaq perdeu cerca de 4%.

As ações do JPMorgan Chase saltaram 11% e as do Bank of America subiram 7%, ficando entre principais ganhos no Dow e S & P 500. O índice das ações financeiras do S & P avançou 3,2%.

As ações européias fecharam em queda, antes da reação das bolsas americanas, à medida que os mercados permanecem sob estresse e os temores sobre a liquidez crescem. O índice FTSEurofirst 300 caiu 1,83%, para 1.104 pontos, com as ações de bancos representando as maiores perdas do índice.

Os papéis do Fortis recuaram 20%, apesar de a instituição ter negado que esteja enfrentando uma crise de liquidez e oferecendo seus ativos apressadamente. As ações do Royal Bank of Scotland, Credit Suisse e Credit Agricole perderam de em torno de 6%. O BNP Paribas, alvo de especulação devido à possibilidade de realizar uma oferta pelo Fortis, subiu 1,6%.

Em Londres, o índice Financial Times fechou em queda de 2,09%, a 5.088 pontos. Na bolsa de Frankfurt, o índice DAX recuou 1,77%, para 6.063 pontos. Em Paris, o índice CAC-40 desvalorizou-se em 1,5%, para 4.163 pontos.

(Valor Econômico, com agências internacionais)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG