SÃO PAULO - Assimilando a sinalização externa, a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) deve registrar um pregão de baixa nesta quarta-feira. A indicação vem do mercado futuro, onde o Ibovespa com vencimento em fevereiro apontava queda de 0,96%, para 39.

900 pontos.

Mas as perdas do dia podem ser limitadas pela valorização no preço de algumas commodities, entre elas o petróleo, que se aproxima dos US$ 39 o barril de WTI depois que a Arábia Saudita, maior produtor mundial, acenou com corte de produção.

Em Wall Street, a sinalização também é de baixa, com a agenda de indicadores do dia impondo cautela aos investidores. Por volta das 11h30, serão apresentadas as vendas no varejo e o índice de preços de importação. Também é aguardado o nível de estoque nas empresas. À tarde, o Federal Reserve (Fed), banco central norte-americano, divulga o Livro Bege.

Foco também no setor financeiro. Ontem à noite, o Citigroup e o Morgan Stanley confirmaram um acordo para juntar seus negócios de corretoras de valores. No final da operação o Citi deve embolsar US$ 5,8 bilhões.

Na Europa, as ações do Deutsche Bank caem forte depois do alerta de prejuízo de 4,8 bilhões de euros para o quarto trimestre. Ainda na região, os papéis do HSBC recuam em Londres. Um relatório do Morgan Stanley apontou que o banco precisa levantar US$ 30 bilhões e cortar dividendos para ajustar o caixa.

Com esse noticiário. os índices de ações europeus operam em território negativo. Em Londres, o FTSE-100 apontava queda de 2,21%, enquanto o Xetra-DAX, de Frankfurt, desvalorizava 1,85%.

No mercado internacional de câmbio, o dólar tem leve alta sobre o iene, mas perde espaço para o euro. Por aqui, depois de dois dias de alta, a moeda passa por ajuste de baixa. Há pouco, o dólar comercial valia R$ 2,314 na venda, queda de 0,55%.

Atenção hoje para o fluxo cambial parcial de janeiro e para o leilão de dólares com garantia em instrumentos de financiamento às exportações (ACC e ACE). Nessa modalidade, o BC empresa dólares aos bancos que se comprometem a repassar o dinheiro às empresas via financiamento de comércio exterior.

O pregão de ontem foi bastante instável, mas a recuperação de preço de algumas matérias-primas chamou compradores de volta à Bovespa, que garantiu valorização de 0,36%, para 39.544 pontos. O giro financeiro ficou em R$ 3,66 bilhões.

Em Wall Street, as notícias do setor financeiro pesaram sobre o índice Dow Jones, que caiu 0,3%. Já a bolsa eletrônica Nasdaq registrou alta de 0,5%.

Na Ásia, a quarta-feira foi de recuperação. Tóquio apontou ganho de 0,29%, e Seul valorizou 1,28%. Na China, Xangai e Hong Kong subiram 3,52% e 0,27%, respectivamente. Hoje, a China divulgou uma revisão no crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) em 2007, de 11,9% para 13%.

(Eduardo Campos | Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.