Cuiabá, 22 - O mercado disponível de milho se mantém com preços estáveis há cerca de três semanas, o que reflete ausência de compradores e o baixo volume do cereal que ainda resta nas mãos dos produtores, segundo analistas do Instituto Mato Grossense de Economia Agropecuária (Imea). No momento, as atenções estão se voltando para a comercialização do milho que começa a ser colhido a partir de junho, por meio da troca do cereal por insumos para o plantio da soja na safra 2010/2011.

No boletim semanal, os técnicos relatam negócios de troca, para entrega em julho, em Campo Verde a R$ 11,00, em Nova Mutum a US$ 4,80 e em Sapezal a US$ 5,50.

No mercado disponível, as melhores indicações reportadas na semana passada foram de R$ 8,50/saca em Campo Verde, Canarana e Primavera do Leste. Em Rondonópolis a saca foi cotada a R$ 9,50. No comparativo de novembro do ano passado até o fim da semana, os preços do cereal em Sorriso recuaram 32%, passando R$ 9,60/saca para os atuais R$ 6,50/saca.

Nesta semana o Imea divulgou o balanço das exportações mato-grossenses de milho relativo ao mês passado. Os embarques em fevereiro somaram 457,1 mil toneladas, volume 3% acima do verificado no mesmo mês do ano passado. O acumulado do primeiro bimestre somou 1,309 milhão de toneladas, superando o recorde registrado em igual período do ano passado, quando os embarques de milho somaram 1,273 milhão de toneladas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.