Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Mercado: Bovespa prepara-se para rali de alta; índice futuro sobe 7,8%

SÃO PAULO - A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) se prepara para uma acentuado rali de alta nesta sexta-feira. Há pouco, o Ibovespa com vencimento em outubro subia 7,84%, para 52.

Valor Online |

950 pontos na Bolsa Mercadorias & Futuros (BM & F).

Ontem, o índice já teve uma disparada depois que saíram as primeiras notícias de que o governo norte-americano estaria estudando a criação de uma agência para coordenar o processo de compra, venda e resgate de instituições financeiras, além de concentrar os créditos podres.

Em Wall Street, os futuros também operam com acentuada valorização. Além da expectativa com a nova agência, os investidores reagem de forma positiva à última medida do Tesouro dos Estados Unido, que vai garantir recursos para os Money Market Funds, veículos de investimento de curto prazo e baixo risco, que vinham perdendo essas características em função das restrições no mercado de crédito.

A Securities and Exchange Commission (SEC, órgão regulador do mercado norte-americano) proibiu a venda a descoberto dos ativos de 799 instituições financeiras, ou seja, está proibido apostar na baixa.

A Europa já reage freneticamente às notícias. Ontem, as bolsas fecharam antes das primeiras indicações sobe a nova agência.

O pregão da quinta-feira foi bastante instável, mas conforme aumentavam os rumores sobre a possibilidade de uma solução de longo prazo para a crises, as compras foram aumentando. Com isso, o Ibovespa terminou com elevação de 5,48%, maior alta diária desde 30 de abril, apontando 48.422 pontos. O giro financeiro foi elevado, mais de R$ 7,5 bilhões.

Em Wall Street, os ganhos também foram expressivos. Com todos seus 30 componentes em alta, sendo que 12 deles tiveram variações de dois dígitos, o Dow Jones aumentou 3,86%. A bolsa eletrônica Nasdaq subiu 4,78%.

Os mercados na Ásia também registraram altas expressivas no fechamento da jornada de sexta-feira. Na China, além no noticiário sobre o plano nos EUA, a compra teve uma ajuda do governo doméstico chinês, que suspendeu a tributação incidente sobre a compra de ações. Com isso, Hong Kong saltou 9,61%, enquanto Xangai avançou 9,46%.

"(Eduardo Campos | Valor Online)"

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG