SÃO PAULO - Os contratos futuros de petróleo voltaram a recuar nesta quinta-feira, diante dos dados sobre aumento da oferta e dúvidas sobre o crescimento da demanda da commodity. Em Nova York, o WTI para maio fechou cotado a US$ 85,39, em baixa de US$ 0,49 ou 0,6%, enquanto o vencimento de junho terminou a US$ 86,03, com recuo de US$ 0,48. Em Londres, o Brent de maio perdeu US$ 0,78, para US$ 84,81, enquanto o de junho caiu US$ 0,66, para US$ 85,54.

SÃO PAULO - Os contratos futuros de petróleo voltaram a recuar nesta quinta-feira, diante dos dados sobre aumento da oferta e dúvidas sobre o crescimento da demanda da commodity. Em Nova York, o WTI para maio fechou cotado a US$ 85,39, em baixa de US$ 0,49 ou 0,6%, enquanto o vencimento de junho terminou a US$ 86,03, com recuo de US$ 0,48. Em Londres, o Brent de maio perdeu US$ 0,78, para US$ 84,81, enquanto o de junho caiu US$ 0,66, para US$ 85,54. O WTI chegou a superar os US$ 87 o barril durante o dia, mas o ativo perdeu força conforme os investidores reavaliaram o relatório sobre estoques de petróleo nos EUA divulgado ontem, que mostrou um crescimento acima do esperado nas reservas. Segundo o Departamento de Energia, houve um aumento de 2 milhões de barris nas reservas de óleo cru na semana passada, acima da previsão dos analistas, que esperavam elevação de 1,3 milhão de barris. Esta foi a décima semana seguida de alta nos estoques de óleo cru. Pelo lado da demanda, pesou a notícia sobre os dados do mercado de trabalho. Os novos pedidos de seguro-desemprego nos EUA aumentaram inesperadamente em 18 mil na semana passada na comparação com uma semana antes, para 460 mil. O indicador mostra que a recuperação da economia, e consequentemente a demanda por petróleo, pode não ser tão consistente quanto se imaginava. (Téo Takar | Valor com agências internacionais)
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.