Genebra, 28 nov (EFE).- Três membros de uma ONG sul-coreana que chegaram a Genebra para participar de uma série de atividades de oposição à reunião ministerial da Organização Mundial do Comércio (OMC) foram detidos no aeroporto de Genebra e ameaçados de serem deportados.

Representantes de vários grupos que organizam uma série de atividades alternativas à reunião da OMC denunciaram hoje este incidente e indicaram que, apesar de seus requerimentos, a Polícia não deu justificativa nenhuma para a detenção.

Yoon Geum Sum, delegada da Associação Coreana de Mulheres Camponesas, disse que seus compatriotas detidos foram submetidos a uma revista humilhante e que "isso mostra como será o mundo se as negociações da Rodada de Doha terminarem algum dia".

Grupos civis de vários países iniciam hoje em Genebra, com uma marcha de protesto, uma série de atividades paralelas à reunião da OMC, à qual confirmaram presença ministros de 139 países.

Olivier de Marcellus, representante de uma ONG suíça, condenou a detenção dos três ativistas da Coreia do Sul e disse que sua organização entrou em contato com o Ministério da Justiça para entender as razões da detenção, mas ninguém ofereceu explicações.

Em entrevista coletiva, disse que a resposta das autoridades suíças foi que "não existe possibilidade de recorrer" perante alguma instância para conseguir a libertação dos cidadãos sul-coreanos.

"O objetivo disso claramente é impedir a participação dos ativistas coreanos na manifestação de hoje", disse Marcellus.

Yoon Geum Sum disse que fez contato com as instâncias diplomáticas da Coreia do Sul na Suíça, mas que estas também não receberam uma explicação precisa sobre as razões da detenção.

Acrescentou que tudo indica que os três ativistas serão devolvidos a seu país. EFE is/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.