Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Membro do BCE destaca importância dos bancos centrais em momentos de crise

Washington, 26 set (EFE).- A atual turbulência no sistema financeiro internacional colocou em primeiro plano o papel dos bancos centrais e da política monetária, afirmou José Manuel González Local Páramo, membro do comitê executivo do Banco Central Europeu (BCE).

EFE |

Hoje mesmo, BCE efetuou uma operação extraordinária de refinanciamento para minimizar os efeitos da crise, injetando US$ 35 bilhões no mercado.

"Na Europa, os bancos centrais continuam sendo atores importantes no cenário financeiro", disse o funcionário durante uma conferência internacional do setor em Chicago. "Por isso, desempenham um papel crucial para a transmissão da política monetária", acrescentou.

González lembrou que, em setembro do ano passado, "a turbulência dos mercados já tinha começado, e os bancos centrais intervinham para minimizar as perturbações nos mercados financeiros e preservar a aplicação das políticas monetárias".

"Embora os dados dos mercados sobre as taxas de juros futuras sugerissem que encarávamos um longo período de tensões (...), não era óbvio na época que a tempestade financeira se tornaria uma das mais fortes do último século", disse González.

O funcionário disse que o panorama financeiro internacional "é muito diferente do de há um ano, e praticamente todos os dias novos eventos contribuem para mudá-lo ainda mais".

"O objetivo principal das respostas imediatas e duradouras do BCE às tensões no mercado de capitais foi manter sob controle as taxas de juros a curto prazo como passo inicial na transmissão de nossa política monetária", explicou.

Isso levou a mudanças nos prazos de liquidez, à extensão da maturidade média das operações e à oferta de liquidez em dólares para atender à demanda.

"Acho que todas estas ações foram eficazes para aliviar as tensões a curto prazo nos mercados e manter o controle das taxas de juros de curto prazo na zona do euro", acrescentou.

"Tenho certeza dqe ue os mercados globais continuarão se beneficiando de nossa cooperação tão estreita", concluiu. EFE jab/sc

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG