RIO - O presidente do Banco Central (BC), Henrique Meirelles, fez uma defesa do regime de metas de inflação e afirmou que o sistema é apropriado para lidar com episódios de aceleração inflacionária como o atual. Meirelles também deixou claro que o BC vai continuar com uma atuação forte para buscar alcançar o centro da meta em 4,5% em 2009.

"No caso específico do Brasil, isso envolve uma atuação vigorosa do Banco Central para reverter as pressões inflacionárias e trazer a inflação de volta para meta central de 4,5% já em 2009", disse Meirelles durante discurso de abertura do X Seminário Anual de Metas para Inflação do Banco Central do Brasil, realizado no auditório da autoridade monetária no Rio de Janeiro.

Para Meirelles são precipitados os questionamentos acerca do futuro do regime de metas suscitados, segundo ele, pelas pressões sobre os preços das commodities e por descompasso entre o ritmo de crescimento da demanda e da oferta em diversos países. "No atual contexto global, creio que o regime de metas de inflação poderá contribuir efetivamente para restabelecer níveis de inflação baixos e estáveis", frisou.

O presidente do BC ressaltou ainda que, na vigência do regime de metas, a função de promover o equilíbrio do balanço de pagamentos não deve ficar com a taxa de juros, mas com o câmbio. "Assim sendo, sob o regime de metas, a taxa de câmbio deve flutuar de forma a promover o equilíbrio externo", ponderou.

Leia mis sobre inflação

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.