Tamanho do texto

O presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, sinalizou nesta manhã, com base nos dados da economia e do mercado disponíveis até o momento, para um crescimento econômico da ordem de 3% no Brasil no ano que vem, segundo relato do deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR). A previsão oficial do governo é de 4% e o BC ainda não divulgou a sua expectativa para 2009, o que será feito no último relatório de inflação deste ano.

O deputado mostrou-se pessimista com a economia no próximo ano e disse esperar um crescimento na casa dos 2%.

Segundo o deputado, a reunião realizada hoje com integrantes da Comissão de Finanças da Câmara teve como tema central a crise financeira internacional e a atuação do BC em relação aos seus impactos no Brasil. Meirelles, segundo o deputado, disse que o Brasil está sendo extremamente bem observado e bem avaliado por sua resposta rápida à crise.

De acordo com o parlamentar, Meirelles deu a entender também que ainda há espaço para os mercados financeiros caírem mais diante da gravidade da crise. Segundo o deputado, na reunião ficou acertado que a Comissão de Finanças da Câmara e o BC vão criar um grupo de trabalho cuja agenda será de melhorias na regulação do mercado financeiro, especialmente dos derivativos. "Há, segundo o BC, no campo regulatório, avanços que podem ser feitos para ampliar as garantias e para eliminar áreas de sombra", afirmou o deputado. Os trabalhos desse grupo deverão ser iniciados no ano que vem.

Outro ponto que foi tocado na reunião foi a questão da taxa de juros. Rocha Loures informou que disse a Meirelles que seria provável um aumento da pressão no Congresso Nacional para que seja retomado o processo de queda dos juros. Segundo o deputado, diante da colocação da necessidade da retomada da trajetória de queda de juros, Meirelles não fez comentários, apenas balançou a cabeça de cima para baixo. De acordo com relato do parlamentar, o presidente do BC disse que a autoridade monetária tem tomado providências para que haja circulação de liquidez na economia, mas explicou que muitos negócios não estão saindo entre os bancos e a sociedade porque as pessoas estão com receio.

O deputado disse que a reunião foi bastante técnica e que os membros da comissão destacaram que Meirelles está fazendo um bom trabalho na condução do BC em relação à crise. De acordo com Rocha Loures, Meirelles elogiou o Congresso porque tem mostrado disposição de contribuir para o enfrentamento da crise aprovando as medidas que o governo está tomando, como a Medida Provisória 442, que muda as regras das operações do redesconto. "Foi uma reunião proveitosa. Estão lançadas as bases políticas para garantir ao público externo e interno que há governo no Brasil e apoio para medidas de enfrentamento da crise", disse o deputado.