Tamanho do texto

BRASÍLIA - O presidente do Banco Central (BC), Henrique Meirelles, pediu hoje paciência e serenidade e criticou atitudes agressivamente defensivas contra a crise mundial, citando a desova de estoques e a parada de produção de várias empresas como exemplo. Não podemos ficar presos a movimentos de curto prazo , disse Meirelles.

A uma plateia de centenas de engenheiros e arquitetos, Meirelles reiterou que a crise mundial é grave. " Temos que tomar muito cuidado com ela e tomar ações firmes " , afirmou. Ele acrescentou que o governo está preocupado com o setor de construção civil e deve baixar medidas em breve para reativar o emprego e o dinamismo no setor, de forma a garantir " crescimento positivo " ao país em 2009.

" A atitude é muito importante para o país neste momento " , afirmou Meirelles. " Devemos ser pacientes e serenos para agir com rapidez e vigor " , prosseguiu. "Mas não podemos ficar muito presos a movimentos de curto prazo. O ajuste de estoques pode preocupar, pois é uma atitude que não é muito saudável [para a economia]", continuou ele.

O presidente da autoridade monetária acrescentou que " atitudes agressivamente defensivas podem exarcebar os problemas " em referência ao fato de que a parada de produção anunciada todo dia por mais e mais indústrias prejudica as expectativas gerais e podem travar a economia.

(Azelma Rodrigues | Valor Online)