SÃO PAULO - As medidas do governo para resgatar o sistema financeiro e restaurar a confiança nos mercados promoveram grande alívio nas ações em todo o mundo na sexta-feira. No mercado americano, os papéis apresentaram um rali, encerrando a semana que viu a reforma mais dramática no cenário financeiro desde a Grande Depressão.

Na Europa, as bolsas encerraram com o maior avanço percentual registrado em um único dia, impulsionadas pela ação do governo americano e pela proibição temporária vendas a descoberto de ações do setor financeiro.

Em Nova York, o Dow Jones avançou 3,35%, para 11.388 pontos. O termômetro de tecnologia Nasdaq subiu 3,40%, para 2.273 pontos. O Standard & Poor´s 500 teve valorização de 4,03%, para 1.255 pontos.

O S & P 500 teve a sua maior alta em dois dias desde 21 de outubro de 1987, dois dias após a quebra do mercado acionário de 1987.

Liderados pelo secretário do Tesouro americano, Henry Paulson, autoridades estão desenhando uma solução para resolver o problema das centenas de bilhões de dólares em dívidas podres de hipotecas. Em mais uma ação extraordinária, os EUA uniram-se à Grã-Bretanha na aposta de restrição temporária de vendas a descoberto de ações financeiras. Os investidores que praticam vendas a descoberto, que lucram quando as ações caem, têm sido culpados por contribuir com o colapso do Lehman Brothers e do forte declínio de outros papéis financeiros.

A ação veio no final de uma semana agonizante para Wall Street, na qual o Lehman Brothers pediu proteção contra falência, a seguradora AIG foi socorrida pelo governo e o Merrill Lynch foi forçado a se juntar com o Bank of America. Investidores temeram que a confluência de crises seria uma forte ameaça à estabilidade na economia norte-americana. Mesmo com a forte alta dos dois dias, as ações ainda fecharam praticamente estáveis na semana.

O principal índice de ações européias, FTSEurofirst 300, fechou com a expressiva alta de 8,19%, a 1.150 pontos, após ter atingido pico a 1.153,38 pontos. No entanto, o índice acumula queda de 23,6% até agora em 2008. As ações de bancos figuraram entre os maiores ganhos do índice, com os papéis do UBS disparando 31,66%; do Barclays, 29,24%; e do HBOS, 28,91%.

Em Londres, o FT fechou em alta de 8,84%, a 5.311 pontos. Em Frankfurt, o DAX subiu 5,56%, para 6.189 pontos. Em Paris, o CAC-40 avançou 9,27%, para 4.324 pontos. Em Milão, o Mibtel encerrou em alta de 7,7%, a 21.227 pontos. Em Madri, o Ibex-35 registrou valorização de 8,71%, para 11.557 pontos. Em Lisboa, o PSI20 teve avanço de 8,03%, para 8.316 pontos.

"(Valor Econômico, com agências internacionais)"

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.