Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Medição da carga tributária adota nova metodologia da OCDE

BRASÍLIA - A Super Receita anunciou hoje que mudou a metodologia para o cálculo da carga tributária bruta anual, o total de impostos e tributos recolhidos pela União, estados e municípios em relação ao Produto Interno Bruto (PIB). O enfoque econômico deu lugar ao jurídico-orçamentário, com adaptação a padrão internacional.

Valor Online |

De acordo com o secretário-adjunto Otacílio Cartaxo, foi adotada a forma de cálculo da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), que avalia os tributos de acordo com a base de incidência. O método anterior considerava "imposto por imposto", segundo ele.

Agora, a receita tributária por base de incidência e nível de governo arrecadador classifica os impostos e contribuições em seis subgrupos: tributos sobre a renda; sobre a folha salarial; sobre a propriedade; sobre bens e serviços; sobre transações financeiras e outros tributos.

Os impostos sobre bens e serviços tiveram a maior contribuição na carga tributária total do ano passado, com 46,9% das receitas, ou R$ 423,78 bilhões. Na seqüência, vem a arrecadação sobre a folha de salários, com 22,56%; sobre a renda, com 19,28%; e sobre a propriedade, com 3,37%, sendo preponderante na renda dos municípios (35,57%) em função do Imposto Territorial Rural.

A CPMF, extinta ao fim de 2007, contribuiu com 4,88% do total da carga, que foi 35,31% do PIB, ou R$ 903,638 bilhões.

A nova metodologia foi aplicada aos números da carga tributária desde 2003.

(Azelma Rodrigues | Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG