Nova York, 23 jul (EFE).- O McDonalds, maior rede de restaurantes de fast-food do mundo, registrou lucro de US$ 2,136 bilhões no primeiro semestre do ano, um número muito superior aos US$ 50 milhões registrados no mesmo período de 2007, quando sua receita foi afetada pela venda de negócios na América Latina.

O grupo de fast-food informou hoje de seus resultados correspondentes ao primeiro semestre do ano, período em que o lucro por ação chegou a US$ 1,85, frente aos US$ 0,05 do mesmo período de 2007.

O lucro foi impulsionado pela venda da participação na cadeia Pret a Manger, que gerou um aumento de US$ 0,10 por título, e por "fortes vendas no estrangeiro e sólidos resultados no mercado nacional", explicou a companhia em comunicado .

As comparações entre os resultados de 2007 e 2008 ficam distorcidas pela venda no primeiro semestre do ano passado dos negócios do McDonald's na América Latina.

Desde então, a companhia deixou de contabilizar os resultados dos restaurantes na América Latina como negócios dependentes do grupo, para anotar unicamente a receita obtida por direitos de marca.

A transação envolveu uma despesa extraordinária de US$ 1,581 bilhão que abalou os seus resultados da época e agora distorce a comparação.

Descontado o efeito dessa operação, o lucro líquido teria aumentado 31%.

Em qualquer caso, a receita do McDonald's aumentou 5% entre os períodos comparados e chegou a US$ 11,69 bilhões no primeiro semestre deste ano.

Quanto aos resultados do segundo trimestre de 2008, a companhia lucrou US$ 1,19 bilhão (US$ 1,04 por ação), frente às perdas de 711,7 milhões anotadas um ano antes (US$ 0,59 por título).

"Estamos conseguindo aumentos de dois dígitos (mais de 10%) no lucro operacional das atividades na Europa e Ásia-pacífico, no Oriente Médio e na África, assim como resultados trimestrais sólidos nos Estados Unidos", destacou o executivo-chefe do McDonald's, Jim Skinner, ao apresentar as contas do grupo. EFE mgl/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.