O MaxiMídia 2008, um dos eventos de comunicação mais importantes do Brasil, que começou ontem e vai até quinta-feira, em São Paulo, discute hoje temas como o consumo popular e as marcas, a criação de conteúdo para diversos meios, e os desafios de comprar e vender mídia no século 21.

Cecília Russo, da Troiano Consultoria de Marca, e Marcelo Coutinho, do IBOPE Inteligência, apresentam o resultado da pesquisa sobre novos consumidores e dão dicas sobre como atingir as camadas que vêm aumentando seus níveis de renda. Em seguida, Mark Warshaw, diretor da produtora Flatworld Intertainment, comenta a fragmentação da audiência e o aumento dos canais de televisão.

A última palestra do dia abordará "Os desafios de comprar e vender mídia no século 21" e terá a presença de Ângelo Frazão (McCann Erickson), Paulo Camossa (AlmapBBDO) e Paulo Queiroz (DM9DDB), em um painel que discutirá o papel da mídia no novo século.

Internet - Ontem, 1º dia do evento, a relação entre consumidores e produtores de mídia foi o tema abordado na palestra de Henry Jenkins, diretor do Comparative Media Studies, instituto especializado em estudos de mídia.

Segundo ele, é difícil descrever como será o futuro da publicidade, mas é certo que a participação da sociedade nas plataformas de mídia será cada vez maior. Ele também destacou a importância da internet como meio de comunicação. "A web é um grande canal. Quem produz mídia precisa entender que não há como controlar os consumidores, mas é possível interagir com eles e envolvê-los pelo processo colaborativo". Jenkins disse ainda que o Brasil é muito rico em conteúdo, um diferencial no mercado internacional, mas precisa buscar formas para publicar seu material.

Na quinta-feira, último dia do MaxiMídia, estarão em pauta a construção de marcas, as oportunidades e riscos do setor de comunicação, e o papel dos BRICs. Entre os palestrantes, Amy Fuller, da Mastercard, Nizan Guanaes, do Grupo ABC, e Stephen Kanitz, da Kanitz.

Leia também:

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.