SÃO PAULO - As bolsas de valores de Wall Street encerraram o pregão em queda, após a American Express informar que o número de pessoas com dificuldade para efetuar pagamentos de cartão de crédito cresceu, apagando o otimismo do início do dia sobre a possibilidade de bancos voltarem a ter lucro em meio à desaceleração econômica. O índice Dow Jones, referência da bolsa de Nova York, teve oscilação negativa de 0,10%, a 7.216 pontos.

O termômetro de tecnologia Nasdaq fechou em queda de 1,92%, para 1.404 pontos. O Standard & Poor´s 500 perdeu 0,35%, a 753 pontos. Foram as primeiras quedas em cinco pregões.

A American Express, que fornece crédito a consumidores de mais alta renda, informou que sua taxa de inadimplência para cartão de crédito subiu para 8,7% em fevereiro. As ações da companhia perderam 3,3%.

A queda do índice Nasdaq refletiu um movimento de realização de lucros dos investidores com ações de semicondutores após uma semana de bons resultados.

A Intel também pressionou o índice Nasdaq, depois que a companhia acusou a Advanced Micro Devices (AMD) de violar os termos de um acordo de licenciamento cruzado entre os dois fabricantes de chips rivais.

As bolsas da Europa terminaram em alta pela quinta sessão consecutiva, impulsionadas pelo setor bancário após notícias de que o Barclays está avaliando a venda de uma unidade e que está com fortes atividades.

O índice FTSEurofirst 300 disparou 2,67%, para 720 pontos. O indicador ainda acumula perdas de 13,7% no ano.

Em Londres, o índice Financial Times fechou em alta de 2,94%, a 3.863 pontos. Em Frankfurt, o DAX ganhou 2,3%, para 4.044 pontos. O CAC-40, de Paris, subiu 3,18%, para 2.791 pontos. Também houve alta em Milão (2,3%), Madri (2,82%) e Lisboa (0,52%).

(Valor Econômico, com agências internacionais)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.